Não dá para fazer Ciência com especulação

(Autor: Kardec Mc Guiver)

O "Espiritismo" brasileiro é altamente especulativo, o que favorece a aceitação de absurdos e a manifestação de muitas contradições. Para quem não sabe, especular é "analisar" com base em suposições. É transformar o duvidoso em certo. É afirmar sem ter o conhecimento adequado.

Muitas bobagens tem sido divulgadas pelo "Espiritismo" brasileiro como se fossem verdades indiscutíveis. O prestígio de personalidades e a associação com estereótipos de bondade reforçam a aceitação de certas ideias, substituindo o esforço intelectual que "espíritas" se recusam a adotar.

Francisco Cândido Xavier, ídolo maior dos "espíritas" brasileiros era um simples fiel católico que tinha uma certa paranormalidade. mas foi transformado em mito e hoje ele é mais cultuado que o científico Allan Kardec, servindo de fonte de mentiras, ideias tolas e estimulando o travamento intelectual.

Mas para muitos ingênuos Xavier foi um sábio e até mesmo um intelectual, pois irracionais como todo fiel religioso, os admiradores do médium não sabem o que significa a palavra sabedoria aceitando o absurdo da possibilidade dela nascer do nada, como um passe de mágica. 

Para muitos, o que Chico Xavier dizia era acatado como verdade inquestionável. Acreditam que sua inteligência estava embutida na sua suposta bondade. Já falamos inúmeras vezes sobre a suposta bondade dele, e não é foco desta postagem falar dela. O que se pode dizer aqui é que mesmo que ele tenha sido bondoso de fato, a bondade não justifica a inteligência, podendo o médium falar asneiras extremamente absurdas e inaceitáveis pela lógica e pelo bom senso.

Há quem diga também que Xavier era assessorado por "espíritos de cientistas". Que cientistas? André Luiz? Ele é uma ficção, nunca existiu! E sinceramente acho ofensivo dizer que ele foi Carlos Chagas ou Oswaldo Cruz, pois o conteúdo científico da "saga André Luiz" é risível, provando que o suposto "espírito", como cientista era uma fraude. Além disso, as características das vidas de Chagas e Cruz não batem com a da alegada biografia oficialmente conhecida do suposto espírito. 

E de fato não há cientistas entre os espíritos que andavam com Chico Xavier, porque um ingênuo portador da fé cega, que é irracional, nunca iria atrair espíritos sábios para falar por ele. A afinidade de ideias é indispensável para que haja a comunicação espiritual.

Mesmo assim, o prestigio de Xavier como "cientista" continua sendo difundido e reforçado. Até rios de dinheiro que deveria ir para a caridade foram gastos em um documentário caríssimo (Data Limite, segundo Chico Xavier) para tentar promover o médium como "patrono da ciência brasileira", na desesperada tentativa de embutir qualidades ao médium para canonizá-lo como um semi-deus.

E com isso muitas bobagens vão se espalhando pelo "Espiritismo" brasileiro, gerando um festival de especulações, muitas contraditórias entre si. Acreditando ser "ciência", muitos fiéis "espíritas" vão aceitando cegamente o que ouvem dificultando a compreensão da realidade espírita e adiando a evolução espiritual.

A ciência de Kardec nunca deveria ter sido usada para tetar justificar as bobagens criadas pelo "Espiritismo" brasileiro. Está mais do que na hora de analisarmos tudo que nos chega aos nossos olhos e ouvidos, sem se preocupar com o prestígio de fulano ou sicrano.

Ciência se constrói com estudo, não com suposições. Já a especulação, o habito de formar "conhecimento" com suposições e dados inverídicos, só constrói ilusões.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

Madre Teresa de Calcutá e a caridade como mercadoria