Pular para o conteúdo principal

Postagens

A justiça seletiva e a peruca de Luiz Fux na "Pátria do Evangelho"

(Autor: Professor Caviar)
O governo Jair Bolsonaro, cuja candidatura seria apoiada até por Francisco Cândido Xavier - se até o cantor Djavan foi apoiá-lo, por que não o "médium" de valores ultraconservadores que apelavam para o "sofrimento resignado e em silêncio"? - , ganhou um favorecimento da Justiça seletiva dos homens, quando o ministro do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, acatou o pedido do filho do presidente e senador pelo Rio de Janeiro, Flávio Bolsonaro, de suspender as investigações do ex-assessor da família do chefe da nação, Fabrício Queiroz.
O episódio, que irritou até muitos bolsonaristas, mostra o quanto a Justiça é parcial. Fux é daquela linha de magistrados que são duros demais quando os políticos são progressistas, mas são flexíveis demais quando os políticos são voltados ao status quo, inofensivos aos interesses das elites.
A seletividade da Justiça tem seu precedente, a ser celebrado daqui a pouco mais de seis meses. São os 75 anos de impuni…
Postagens recentes

A "patrulha canina" de Chico Xavier e sua falsa imparcialidade

(Autor: Professor Caviar)
Engraçado um país como o Brasil. Se as recomendações que haviam sido dadas com muita antecedência pelo Espiritismo original de ser rigoroso com os deturpadores da Doutrina dos Espíritos não são sequer cumpridas pela metade, ainda tem gente que patrulha quando o menor rigor se expressa nas críticas à deturpação, em especial quando o alvo é o badalado e ultrablindado Francisco Cândido Xavier.
Essa "patrulha" tem sempre o mesmo comportamento. Finge parcialidade, cobra rigor apenas a coisas que não lhes agradam, exige "fundamento científico" quando é algo com que eles discordam, porque, no campo de sua concordância, até fantasias mirabolantes são aceitas, embora reconhecidas como "exageradas". Quando o "exagero" vem da fé, esses patrulheiros criticam, mas aceitam. Quando no entanto há o rigor dos questionamentos, esse "exagero" é condenável de maneira inflexível.
A "patrulha canina" que blinda Chico Xav…

Chico Xavier e sua suposição de que Adolf Hitler foi para Plutão

(Autor: Professor Caviar)
Favorecido pela carteirada religiosa, Francisco Cândido Xavier poderia dizer o que quiser, fazer o que quiser, antecipando Olavo de Carvalho com seus delírios religiosos, seu juízo de valor e seu simulacro de ciência. Sem qualquer fundamento científico, mas movido pelo prestígio que a idolatria religiosa lhe ofereceu, Chico Xavier podia fazer invencionices que tudo era levado a sério. E levado a sério até demais.
Pois na atribuição do destino espiritual do ditador nazista Adolf Hitler - que tinha, em comum, com Chico Xavier o desejo de formação de um império nacional, respectivamente o "Terceiro Reich" da Alemanha e a "Pátria do Evangelho" do Brasil (que nem de longe foi o sonhado "país do progresso e fraternidade" anunciado pelo "movimento espírita", mas uma nação ultraconservadora conduzida pela "alma-gêmea" de Chico, o atual presidente Jair Bolsonaro) - , nota-se que o "médium" classificou, no ac…

Chico Xavier e a farra dos supostos "resgates coletivos"

(Autor: Professor Caviar)
O "espiritismo" brasileiro virou uma grande farra. Mas é uma farra na qual o primeiro que quebrou o vidro de uma casa é considerado "pessoa íntegra, boa, humilde e de caráter moral profundamente elevado".
Essa carteirada que envolve Francisco Cândido Xavier - o "primeiro que atirou na vidraça" - o faz impune em suas piores encrencas e seus maiores abusos. Chico Xavier fez juízos de valor extremamente severos, ao arrepio total da Ciência Espírita, e, conforme o artigo abaixo, divulgado pelo "espírita" Inácio Ferreira, o "bondoso médium" acusou as vítimas do incêndio do edifício Joelma, que ocorreu em 1974, de terem participado das Cruzadas do Catolicismo medieval. Logo Chico, ele mesmo um católico medieval que vestiu a capa da Doutrina Espírita para se promover!

Sabemos que essa palhaçada de "resgate coletivo" não existe, seja a partir do que Chico Xavier diz, seja a partir do que outros dizem. É uma …

Chico Xavier, o falso Cristo que enganou o Brasil

(Autor: Professor Caviar)
O "movimento espírita", assustado com a péssima repercussão trazida pelo caso do "médium" João de Deus, tenta tirar o corpo fora e classifica o religioso, acusado de uma série de crimes, como alguém "alheio ao Espiritismo".
No entanto, se temos João de Deus, é porque Francisco Cândido Xavier abriu um precedente para todo o cenário de confusões que se observa sob o manto do "espiritualismo religioso". E devemos lembrar que Chico Xavier abençoou João de Deus em 1993, quando, recentemente, se descobriram denúncias contra o "médium" goiano que remetem a 1983. Como o "intuitivo" Chico Xavier, que muitos acreditam ser um "grande sábio", não se deu conta de figura tão traiçoeira?
É porque o próprio Chico Xavier nunca passou de uma farsa. Era um sujeito que, numa só pessoa, acumulava a esperteza de um Aécio Neves, o reacionarismo de um Jair Bolsonaro e o oportunismo pretensamente filantrópico de u…

Editora Astral publica biografia fantasiosa de Chico Xavier

(Autor: Professor Caviar)
É muito fácil, no Brasil, criar ídolos religiosos, forjando uma narrativa agradável que produz pretensos filantropos, falsos pacifistas, mistificadores que buscam a posse tendenciosa da verdade, pessoas que usam a humildade para obter as glórias terrenas, na esperança de alcançar os tesouros do céu.
Francisco Cândido Xavier foi um grande e grave deturpador do Espiritismo. Foi um sujeito que desviou os postulados espíritas originais para o caminho retrógrado da herança do Catolicismo medieval, através da influência jesuíta do padre Manuel da Nóbrega, rebatizado Emmanuel.
Chico Xavier foi envolvido em literatura fake, que abertamente destoava dos estilos originais dos autores mortos alegados. Participou de fraudes de materialização, dando cobertura e apoio. E tinha ideias bastante reacionárias, além de não fazer a tão alardeada caridade associada a ele, pois, como se não bastasse a filantropia estiver nas mãos de terceiros, pois Chico não movia um dedo para au…

Editora Alto Astral ajuda a promover imagem fantasiosa de Chico Xavier

(Autor: Professor Caviar)
Um dos mais graves deturpadores da história de todo o Espiritismo, Francisco Cândido Xavier goza, de toda a mídia comercial, de uma reputação baseada na imagem adocicada e fantasiosa do "médium", desenvolvida em padrões infantilizados e piegas, escondendo os aspectos negativos dele.
Mesmo assim, a mídia solidária a Chico Xavier não esconde aspectos estranhos, mesmo quando divulga as mensagens piegas do "médium". E a Editora Alto Astral, do astrólogo João Bidu, voltada ao que há de mais banalizado na mídia televisiva, não ficaria de fora dessas apelações tão cafonas e mistificadoras.
Reproduzimos o texto que soa como um release que transforma Chico Xavier num produto de adoração religiosa, a exemplo de Madre Teresa de Calcutá, no exterior, com aqueles "apelos bonitos de caridade e humildade" que originalmente vieram das mentes maliciosas de gente hoje esquecida como o inglês Malcolm Muggeridge. Estranho não haver, entre os chiqui…