Pular para o conteúdo principal

Provas de que Chico Xavier NÃO foi enganado por Otília Diogo

 (Autor: Professor Caviar)

Diante do caso do prefeito de São Paulo, João Dória Jr., que divulgou uma farsa alimentícia durante o evento Você e a Paz, encontro comandado por Divaldo Franco, o "médium" baiano, beneficiado pela omissão da imprensa, tenta se redimir da responsabilidade de ter homenageado o político e deixado ele divulgar o produto vestindo a camiseta do referido evento. Isso lembra um caso em que um "médium" tentava se livrar da responsabilidade de seus piores atos, como se ser "médium espírita" permitisse o calote moral.

Oficialmente, diz-se que o "médium" Francisco Cândido Xavier "havia sido enganado" pela farsante Otília Diogo. Isso é uma mentira descarada, sem pé nem cabeça. Essa constatação, para desespero dos "espíritas", não se baseia em mais um "manifesto de ódio" contra um "homem de bem", mas em fotos tiradas pelo próprio fotógrafo oficial, Nedyr Mendes da Rocha, solidário a Chico Xavier e que registrou os bastidores da farsa de materialização.

Otília Diogo foi uma suposta médium de Minas Gerais, e fez as sessões em Uberaba entre 1959 e 1964 (algumas fontes apontam também 1965), quando começou a ser denunciada. Chico Xavier, que prometeu nunca mais acompanhar eventos de suposta materialização espiritual em 1954, continuou acompanhando e demonstrou estar por dentro de todo o espetáculo ilusionista tramado pela colega, uma encenação apresentada em Uberaba, cidade adotiva do "médium".

Otília Diogo manifestou-se pelos supostos espíritos da freira Irmã Josefa, do médico Alberto Veloso e de um menino de nove anos, entre outros supostos espíritos. No caso de Irmã Josefa, a suposta materialização era feita com ela cobrindo seu corpo com véu e roupas brancas, quase escondendo por completo seu rosto. Na encenação, observa-se suposta formação de hectoplasma, que claramente parece com uma grossa gaze colocada pela boca de um paciente.

A farsa começou a ser denunciada em 1964, com cobertura na imprensa e na televisão. Isso gerou um grande escândalo, embora a polêmica neutralizasse o caso e a suposta materialização, apesar de seu caráter grotesco - havia até mesmo o volume dos seios no físico do suposto dr Veloso, além da barba grotescamente colocada, à maneira de uma barba postiça, usada em fantasias de baile de carnaval - , era vista como "autêntica".

Mas o escândalo repercutiu de tal forma nos bastidores que o "médium" Waldo Vieira se sentiu decepcionado com seu antigo ídolo Chico Xavier e rompeu com ele. Foi a partir daí que Waldo se mudou para Foz do Iguaçu e criou a Conscienciologia-Projeciologia, um arremedo politicamente correto da Cientologia, que comandou até o fim da vida, em 2015.

Em 1970, uma reportagem da revista O Cruzeiro deu como furo o fato dos jornalistas responsáveis terem encontrado o material que Otília Diogo usava para o espetáculo ilusionista. incluindo as fantasias que foram identificadas com as roupas de Josefa e do dr. Veloso. A reportagem gerou um grave escândalo, a ponto de Otília ter sido detida e, depois, fugido e vivido no ostracismo até o fim da vida.

O escândalo foi mais um dos que Chico Xavier enfrentou no crepúsculo da Era Wantuil, quando o seu tutor, Antônio Wantuil de Freitas, deixou a presidência da Federação "Espírita" Brasileira. Em 1969, o "médium" soube da denúncia de que o lucro de seus livros seria para a fortuna dos dirigentes da FEB, coisa acertada entre os "parceiros de crime" Chico e Wantuil. Mas Chico tentou tirar o corpo fora se passando por vítima e se dizendo "muito triste" por saber que o faturamento da venda dos livros "não foi para a caridade".

Chico tentou mais uma vez tirar o corpo fora no caso de Otília e tentou se passar por alguém que foi enganado. Oficialmente, foi como se Otília tivesse feito tudo à revelia do "médium" e lhe tapeado. Mas a coisa não foi assim e as fotos confirmam que Chico foi cúmplice de Otília e, portanto, deveria ter sido responsabilizado pela farsa.

As fotos, uma acima e as demais abaixo, revelam o quanto Chico Xavier estava por dentro dos bastidores, acompanhando tudo atento, com entusiasmo, falando com todos os responsáveis, bastante ativo e animado. Ele acompanhou os preparativos e tudo isso está evidente, o que mostra que a mentira de Otília Diogo teve o apoio e a cumplicidade do "médium".

Enganados foram os seguidores e simpatizantes de Chico Xavier quando acreditam que seu ídolo foi vítima do processo. Chico Xavier foi tão culpado da farsa quanto Otília Diogo, e isso pode ser constatado, pasmem, com fotos tiradas por um simpatizante do "médium" mineiro. Um "fogo amigo" envolvendo Chico Xavier, juntamente com a revelação de uma carta de Chico publicada por Suely Caldas Schubert de que Parnaso de Além-Túmulo foi uma obra de editores da FEB. Vamos às fotos.






Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Silêncio da imprensa em torno do caso Divaldo Franco-João Dória Jr. é grave

(Autor: Professor Caviar)
De repente, até a imprensa de esquerda desaprendeu a fazer jornalismo. O prefeito de São Paulo, João Dória Jr., enquanto divulgava a intragável "farinata", composto alimentar de procedência e valor nutricional duvidosos, exibiu o tempo todo a camiseta do evento Você e a Paz, comandado pelo "médium" Divaldo Franco. O silêncio total da imprensa quanto a este aspecto tem muito o que dizer, e não são coisas boas.
Em primeiro lugar, João Dória Jr. não exibiu a camiseta do Você e a Paz porque foi a única camiseta branca que encontrou ele que costuma usar camisas de colarinho e paletó. Também não foi uma iniciativa comparável à de um moleque usando camiseta de banda. Houve um propósito para João Dória Jr. aparecer vestindo a camiseta do Você e a Paz, na qual havia o crédito do nome de Divaldo Franco.
Nenhum jornalista, por mais investigativo que fosse, chegou sequer a perguntar: "ora, se a 'farinata' era apoiada pela Arquidiocese de…

Por defender a ditadura militar, Chico Xavier devia perder homenagens em logradouros

(Autor: Professor Caviar)

Pode parecer, para muitos, cruel e injusto, mas a verdade é que Francisco Cândido Xavier deveria perder as homenagens dadas a logradouros por todo o país.
Na famosa entrevista ao programa Pinga Fogo, em julho de 1971, Chico Xavier exaltou a ditadura militar, com muita convicção, e disse para orarmos para as Forças Armadas, porque os militares estavam construindo o "reino de amor" do Brasil futuro.
Demonstrando um raivoso direitismo, Chico Xavier simplesmente disparou comentários contra manifestantes sem-terra e operários, com um reacionarismo descomunal e que muitos não conseguem imaginar, apegados à "dócil imagem" atribuída ao anti-médium mineiro. Quem duvida, é só ver o vídeo no YouTube. E é o próprio Chico Xavier quem diz, para tristeza de seus seguidores.
Ele defendeu a ditadura militar num contexto em que ela se mostrou bem mais repressiva. Era a época do DOI-CODI, principal órgão de repressão, que aprisionava, torturava e matava pri…

Um grave equívoco numa frase de Chico Xavier

(Autor: Professor Caviar)
Pretenso sábio, o "médium" Francisco Cândido Xavier é uma das figuras mais blindadas do "espiritismo" brasileiro a ponto de até seus críticos terem medo de questioná-lo de maneira mais enérgica e aprofundada.
Ele foi dado a dizer frases de efeito a partir dos anos 1970, quando seu mito de pretenso filantropo ganhou uma abordagem menos confusa que a de seu antigo tutor institucional, o ex-presidente da FEB, Antônio Wantuil de Freitas. Nessa nova abordagem, feita sob o respaldo da Rede Globo, Chico Xavier era trabalhado como ídolo religioso nos moldes que o jornalista católico inglês Malcolm Muggeridge havia feito no documentário Algo Bonito para Deus (Something Beautiful for God), em relação a Madre Teresa de Calcutá.
Para um público simplório que é o brasileiro, que anda com mania de pretensa "sabedoria de bolso", colecionando frases de diversas personalidades, umas admiráveis e outras nem tanto, sem que tivesse um hábito de lei…