Explicando a influência dos mistificadores e seus médiuns no Movimento Espírita brasileiro

(Autor: Profeta Mentalista)

Chico Xavier, Divaldo, vários médiuns, autores e palestrantes, além dos espíritos que os acompanham são muito idolatrados pelos espiritólicos brasileiros, que não admitem nenhuma crítica ou análise a respeito, aceitando cegamente tal e qual os católicos e evangélicos fazem com seus dogmas e ídolos. 

Mas Xavier e seus comparsas e discípulos foram responsáveis por uma grave adulteração da Doutrina espírita que ensinou tudo errado e que infelizmente segue ainda forte e com muitos seguidores fanáticos e teimosos.

E graças a essa teimosia que fazem esses fiéis a se recusarem a mudar de opinião, largando a credulidade irracional, escrevo esta postagem para tentar explicar, através de uma metáfora, como os brasileiros entenderam errado a doutrina de Kardec, transformando-a na gororoba igrejista que todos conhecem e que pensam em ser a verdadeira doutrina. Reflitam:

Imagine que você funde um clube ou instituição. Para tal, você cria uma regras. Depois de muito tempo, você tem que entregar a administração para outra pessoa. Você entrega. E esta pessoa muda tudo, regras, procedimento, chegando até a descaracterizar a instituição. Só que o novo dono afirma que não mudou nada, apenas "complementando" e responsabiliza o fundador da instituição como autor das novas regras que mudaram tudo.

E aí, vão insistir que essa alteração toda é fiel ao original? Complementar é adulterar? Com certeza que não.

Espero que tenham entendido. Chega de ver o parasita espiritólico falar em nome de seu hospedeiro espírita.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

Madre Teresa de Calcutá e a caridade como mercadoria