Espíritos de máxima evolução não habitam a esfera terrestre

(Autor: Profeta Gandalf)

Uma decepcionante, mas verdadeira notícia tenho que dar aos espiritólicos, seguidores da deturpação feita com o Espiritismo que faz todo mundo entender errado os propósitos da doutrina: não existem espíritos superiores de plantão para nos socorrer ou puxar o nosso saco!

O planeta Terra se encontra na categoria de Provas e Expiação. Os espíritos que habitam tem que ser mais ou menos da mesma natureza. E isso se aplica também aos desencarnados. Os espíritos que classificamos como "superiores" na verdade estão só um pouquinho acima de nós, em nível consecutivamente melhor, mas ainda pertencentes a categoria que habita este mundo. Nada de "puros", "perfeitos" ou coisa parecida.

E mais: uns tidos como "superiores" são até bem inferiores, como o picareta do Emmanuel, enganador do além-túmulo que prova que existem farsantes desonestos do lado de lá também, já que os espíritos nada mais, nada menos, são os humanos sem os seus corpos.

Raríssimas vezes, por necessidade extrema, os espíritos superiores vem nos comunicar, como a encarnação de Jesus ou as mensagens recebidas pelos médiuns que serviram de porta-vozes para as pesquisas de Kardec. Mas isso é caso muito raro. Excepcional até.

Querer que espíritos de máxima evolução fiquem de plantão para nos orientar ou corrigir nossos erros é o mesmo que exigir diploma de PhD para dar aulas no jardim de infância. 

Fiquem tranquilos. Os espíritos que nos orientam, imediatamente superiores a nós, tem competência para nos cuidar. Em cada nível, temos sempre os que estão consecutivamente acima de nós para nos orientar e proteger. O que não tem são espíritos de máxima evolução, pois está  longe das características do planeta.

E esses espíritos consecutivamente superiores também irão reencarnar, para que também pudessem aprender e se elevar. Tudo em ordem como a Natureza sabe fazer.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

Madre Teresa de Calcutá e a caridade como mercadoria