Para se pescar um peixe, coloca-se uma isca bem agradável

(Autor: Kardec McGuiver)

Não foi por acaso que o sábio Herculano Pires chamou o "Espiritismo" brasileiro de Seita de Papalvos. A alienação resultante da fé cega e da confiança em estereótipos tem permitido com que muitas asneiras e falsos profetas fossem aceitos sem contestação dentro da versão deturpada da doutrina. É muito fácil para lideranças espíritas enganar a seus seguidores.

Imaginam os fiéis seguidores do "Espiritismo" brasileiro que espíritos negativos são sempre agressivos e autores de mensagens confusa ou de conteúdo reprovável. Se enganam em esquecer que esta tática não convence mais e que os espíritos enganadores, espertos e conhecedores do pensamento de suas presas em potencial, já adotam táticas mais convincentes para se tornar mais convincentes e garantir o sucesso de seu domínio.

Não é aceitável que ainda hoje as pessoas continuem confiando em espíritos enganadores que se apresentam como mestres, falando mansamente mensagens positivas e de falsa lição de moral. Esquecem também que pescadores, para pegarem seus peixes, colocam no anzol iscas que correspondam a preferência de suas presas para que elas possam ser atraídas e depois fisgadas. Os "espíritas" não conseguiram se lembrar de um detalhe tão simples?

Emmanuel, tido como o maior mentor da versão deturpada da doutrina, é um perverso pescador. Suas palavras tidas como sábias são na verdade iscas para que o perverso espírito de mentalidade retrógrada possa impor seu Catolicismo medieval, retomando toda a crueldade presente no Brasil Colônia, quando os terríveis jesuítas impunham sua precnceituosa doutrina.

Não é estranho perceber que o "Espiritismo" brasileiro, tão metido a moderno e progressista, tenha abraçado as lições de um espírito tão leviano, suposto mentor de um intruso tão alienado em relação à doutrina que fingia liderar. 

Como raposas precisam de ovelhas para se manter vivas, Emmanuel e Chico Xavier continuam a enganar muitas almas ingênuas, confiantes nos estereótipos de bondade e sabedoria que se preparam para junto com os neo-pentecostais enfiar a sociedade brasileira no subsolo do poço, devolvendo todo um repertório de preconceitos que só fazem desunir a humanidade.

E tudo isso se deu porque ignoramos os conselhos de Kardec e Erasto, verdadeiros sábios, em troca dos farsantes Chico Xavier e Emmanuel, católicos medievais enrustidos a vandalizar a Doutrina Espírita com um monte de asneiras que não para de causar estragos nas vidas de seus seguidores.

Tudo porque adoramos as iscas deliciosas de Emmanuel e de Chico Xavier, os pescadores de almas ingênuas. Os pescadores de papalvos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

Madre Teresa de Calcutá e a caridade como mercadoria