Xavier pode ter sido obrigado a doar seus direitos autorais

(Autor: Kardec McGuiver)

O título desta postagem pode soar como um soco violento naqueles que acreditam no médium como sinônimo de perfeição e bondade infinita. A cada dia que lemos mais a respeito não somente de Chico Xavier, mas desse "Espiritismo" pirata praticado no Brasil, mais erros encontramos. Há muito mais do mais fétido lodo no fundo desse poço podre do "espiritismo" brasileiro.

Em várias fontes, eu ouvi relatos que comprovam que os manuscritos originais que deram origem aos livros "psicografados" por Chico Xavier foram jogados fora, descartados e destruídos. Não se tem nada dos escritos originais das famosas obras que rendem fortunas e mais fortunas para o "espiritismo" brasileiro. E Xavier, tão "zeloso" pelo que ele fazia, não fez nada para impedir isso?

Bom, muitos episódios sugerem que o médium que nunca entendeu a Doutrina Espírita e que era católico até no DNA, não tinha capacidade de decisão. Sem ater à hipótese dele ter um não sido um doente mental, o que se sabe é que ele era facilmente manipulado, aceitando com tranquilidade a decisão de outros.

Não é de surpreender que ele tenha sido obrigado a ceder os direitos autorais às lideranças da FEB para que estes façam o que bem entender com esses direitos. Claro que inventaram que Xavier teria decidido "por conta própria dar para a caridade", fazendo como ele dizia com certa pompa, "transformar palavras em pão para os necessitados". Frase linda na teoria, mas nula na prática.

Resta saber que tipo de necessitados, pois as vendas dos livros de Xavier rendem até hoje muito dinheiro e não temos um conhecimento real das ajudas decorrentes dessa forma de caridade. Se eles acham que mostrar seria sinal de vaidade, lembramos que esconder também é, além de não sabermos se de fato a caridade está sendo feita. Temos a obrigação de acreditar em algo sem provas só porque está sendo dito? Já vimos isso muitas vezes, com muita gente. 

Informações seguras alegam que o mito da bondade de Chico Xavier é na verdade um plágio de outra farsa, o mito da Madre Teresa, que largava os doentes abandonados em péssimas condições nos lugares que arrumava para eles enquanto viajava com autoridades em jatos de luxo. O jornalista inglês Christopher Hitchens, famoso na época, conseguiu desmascarar a falsa caridosa. 

Xavier não chegou a repetir os erros de Madre Teresa, mas errou tanto quanto ela, fazendo caridade paliativa, mediunidade irresponsável, participações em fraudes e o pior: distorcendo uma doutrina resultando num travamento da evolução intelectual e espiritual dos seus seguidores. 

E com tantos erros somando ao fato de que era manipulável, uma multidão de ingênuos ainda querem elegê-lo como líder máximo da humanidade? E como um cara que não decidia nada por si, iria decidir pelo destino de toda a humanidade? Francamente, Chico Xavier não presta!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

Madre Teresa de Calcutá e a caridade como mercadoria