Mediunidade de Chico Xavier se iguala a "brincadeira do copo"

(Autor: Kardec McGuiver)

Chico Xavier entrou de penetra no "Espiritismo" brasileiro, só porque tinha alguma manifestação de mediunidade. Católico fervoroso, nunca estudou a doutrina e muito menos a faculdade mediúnica. Mas como atraia público, foi orientado e concordou sem hesitar em oferecer serviços de mediunidade sem qualquer tipo de cuidado o que gerou um monte de desastres que fizeram a doutrina empacar no Brasil, iludindo seguidores e fortalecendo lideranças interesseiras.

A mediunidade de Chico Xavier, às vezes autêntica, às vezes não, pois ele não era médium-plantão 24 horas, era bastante irresponsável, sendo feita em condições inadequadas e com a comunicação de espíritos cujas identidades eram duvidosas e as intenções mais do que suspeitas.

Não há equívoco em dizer que Chico Xavier brincou com a mediunidade. Sem o estudo adequado, agia como as crianças que fazem a brincadeira de copo numa tábua similar a da chamada Ouija. Com isso, Xavier foi aos poucos atrofiando a sua capacidade mediúnica, passando a fazer apenas charlatanismo, pois nunca estudou seriamente a capacidade de conversar com os mortos, além de ter escrito livros que ensinavam de form bastante irresponsável sobre esse tipo de prática.

Com Chico Xavier, o "Espiritismo" brasileiro virou uma bagunça, uma colcha de retalhos surgidos através da tola especulação e um total desprezo pelas obras de Allan Kardec, frequentemente bajulado e nada estudado. Se Xavier era o Kardec que voltou (como muitos acreditam e que considero logicamente impossível), ele traiu a si mesmo, trocando aspectos científico por tolices que literalmente dinamitaram a doutrina kardecista no Brasil.

E infelizmente, a prática irresponsável de Chico Xavier conta com o apoio de muita gente. Videos e mais videos são colocados para defender o Ouija humano de Pedro Leopoldo. Títulos são dados de graça ao médium que destruiu o Espiritismo. E até a sua morte, Xavier continuou com a sua brincadeirinha de copo a fascinar tantos ingênuos.

Se vivem dizendo que é um perigo brincadeiras de bruxaria e ocultismo baratos, desaconselhando a sus prática, Chico Xavier foi o primeiro a desobedecer a estes conselhos. Observando o que o Homem chamado Ouija costumava fazer, dá para perceber quão perigosas são as consequências desse brincadeira, muito piores do que se poderia imaginar. 

Chico Xavier é um bom exemplo de que não se deve brincar com os mortos. E ele mesmo foi um dos que mais brincaram com a espiritualidade.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

Madre Teresa de Calcutá e a caridade como mercadoria