Seria ideal que eliminasse de uma vez por todas a religiosidade do Espiritismo

(Autor: Profeta Gandalf)

Ainda continuo esperando surgir uma ciência que estude tudo que acontece no mundo espiritual, semi-material e em outras dimensões. O Espiritismo, ciência que foi criada para isso, foi totalmente empastelada pela religiosidade que desviou radicalmente de foco, eliminando muito de seu caráter científico. Por isso mesmo muita gente considera como pseudo-ciência, por causa desse empastelamento que impede que os estudos doutrinários sejam levados a sério.

Assim como a biologia estuda a vida no mundo material, o Espiritismo deveria estudar o que acontece nas outras dimensões ainda não perceptíveis para os nossos sentidos corriqueiros. O aspecto moral, que é priorizado para a maioria dos que se pretendem estudar Espiritismo não seria descartado, mas seria tratado como um detalhe e não o principal foco. Pois para estudar o mundo espiritual e outras dimensões materiais e semi-materiais, há muito do que se pesquisar.

Gostaria muito que a descoberta do mundo espiritual se desse de forma similar a descoberta, por exemplo, dos micro-organismos. Que fosse a descoberta de uma nova forma de vida então desconhecida. Mas a transformação do Espiritismo em uma religião, devido a uma grande série de mal entendidos, estragou tudo e hoje temos muito mais uma seita do que uma disciplina científica. Isso levou a transformação dos assuntos sobre o mundo espiritual em uma piada religiosa, sem a seriedade que o assunto exige.

Se Kardec mencionou o lado moral, é porque interessava a ele, que era um pedagogo. Mas como eu disse, isso é um aspecto, infelizmente transformado no assunto em si. Hoje estão muito mais preocupados em saber se fulano vai ou não ser punido após morrer do que conhecer os diferentes estados da matéria, da semi matéria e do mundo espiritual e suas estruturas atômicas.

Estamos perdendo muito tempo com o Espiritismo do jeito que está. Mesmo os que não se assumem igrejistas, ainda continuam presos na zona de conforto da religiosidade. É irmão pra lá, apóstolo pra cá, bênçãos, amor, paz, etc. Coisas bem piegas que nunca combinam com o que deveria ser uma ciência. Ainda não vejo em comunidades sobre Espiritismo, aquele saudável clima de pesquisa científica que vejo nos laboratórios. Vestígios de religiosidade se encontram presentes mesmo para quem insiste em negá-las. Triste.

Como eu disse no início, ainda espero uma ciência para estudar com objetividade tudo aquilo que não definimos como matéria. A Física Quântica dá sinais de que irá por este caminho. Caso o Espiritismo não consiga se livrar do lodo religioso que se fixou nele, irá ser jogado às traças, com o seu objeto de estudo assumido por outra disciplina muito mais disposta a levar estas questões a sério, sem a religiosidade tola que nos faz reféns de seres que não existem, a não ser para quem está disposto em abrir mão da razão por uma arcaica fé cega e infantil que tanto nos desvia do mundo real, seja ele material ou não.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

Madre Teresa de Calcutá e a caridade como mercadoria