O dia em que Emmanuel ameaçou matar Chico Xavier

(Autor: Profeta Gandalf)

Caiu por terra a credibilidade e o prestígio do espírito mais influente do chamado Movimento Espírita brasileiro, Emmanuel. Tido como o mais evoluído espírito depois de Jesus, teve a sua máscara finalmente arrancada, se mostrando, como a codificação recomenda, um espírito obsessor e dos mais perversos. Com certeza deve ter reencarnado, bem antes do que a fatídica data, não para "ensinar" mas para pagar. E pagar muito, como um verdadeiro criminoso do além-túmulo.

O malefício que Emmanuel fez em sua famosa obsessão a sua famosa vítima, Chico Xavier, um pobre coitado que a publicidade da FEB transformou em "líder", é muito maior do que se imagina. Incautos pensam que Emmanuel agia assim por "missão caridosa". Mas se ele não foi caridoso nem com seu suposto tutelado, imagine com a humanidade toda?

Emmanuel queria impor suas convicções pessoais para impedir o avanço do Espiritismo no Brasil. Jesuíta, sonhava que o Catolicismo se tornasse unânime em nossa sociedade e não media esforços para isso. Agia com os espíritas da mesma forma que fazia com os índios, se infiltrando para depois converter, aniquilando toda a cultura do povo subjugado. Como um vírus que entra na célula para depois destruí-la.

Para isso, chamou uma verdadeira falange de espíritos de padres para se infiltrarem na doutrina, distorcendo conceitos e com isso impedindo a evolução espiritual que faria com que os seguidores tivesse autonomia intelectual, o que faria com que os jesuítas perdessem o poder de manobra.

No caso de Emmanuel, provavelmente o líder dessa falange mal intencionada, era pior ainda. Mantinha Xavier e todos os seu seguidores numa cruel e poderosa possessão, muito mais grave que a obsessão simples, no qual o obsediado perde a capacidade de controlar a sua capacidade de decisão, se tornando escravo absoluto do espírito obsessor. os espíritos capazes desse tipo de obsessão são da pior ordem, que é o caso de Emmanuel, muito do contrário que seus defensores (na verdade obsediados por ele ) pensam.

Kardec alertou sobre a fascinação, novo nome dado a possessão, que é o mais grave tipo de obsessão que é possível acontecer. Kardec alerta:

"A fascinação tem conseqüências muito mais graves. Trata-se de uma ilusão criada diretamente pelo Espírito no pensamento do médium e que paralisa de certa maneira a sua capacidade de julgar as comunicações. O médium fascinado não se considera enganado. O Espírito consegue inspirar-lhe uma confiança cega, impedindo-o de ver a mistificação e de compreender o absurdo do que escreve, mesmo quando este salta aos olhos de todos. A ilusão pode chegar a ponto de levá-lo a considerar sublime a linguagem mais ridícula. Enganam-se os que pensam que esse tipo de obsessão só pode atingir as pessoas simples, ignorantes e desprovidas de senso. Os homens mais atilados, mais instruídos e inteligentes noutro sentido, não estão mais livres dessa ilusão, o que prova tratar-se de uma aberração produzida por uma causa estranha, cuja influência os subjuga." ( KARDEC, Allan - in O LIVRO DOS MÉDIUNS, Capítulo 23, Da Obsessão)

Emmanuel se encaixa facilmente no perfil descrito de um fascinador. Se enganam que os "espíritos trevosos (usando um termo favorito pelos espíritólicos, mas errado na doutrina) se fantasiam de diabo usando a agressividade para se comunicar. Usam aparência confiável e frases edificantes para seduzir as massas e tomar-lhes as rédeas, muitas vezes de maneira autoritária e até cruel.

Cruel sim, pois Emmanuel não respeitou os limites de Xavier, Sua saúde piorava a cada momento, graças a dedicação exclusiva a mediunidade, que deveria ter sido estudada e utilizada apenas em alguns momentos. Emmanuel usou e abusou de sua melhor "máquina de escrever", agravando os problemas físicos de Xavier que o levaram à morte (possivelmente proposital - ver abaixo) do carismático médium.

Emmanuel, o assassino de Chico Xavier

Este título pode chocar muita gente, mas infelizmente é fato. Emmanuel quis matar Chico Xavier. E possivelmente matou Chico Xavier, e numa data muito bem escolhida, já que o jesuíta conhecia o poder alienador do futebol na mente dos brasileiros. Fortalecer a religião e o futebol é impedir o desenvolvimento intelectual do brasileiro, favorecendo a permanência de tudo isso que está aí.

Há um episódio narrado pelo livro biográfico escrito por Marcel Souto Maior* que mostra o verdadeiro caráter de Emmanuel, com grande gravidade. Diz o episódio narrado no tal livro, onde Xavier, cansado e doente, pedia a Emmanuel para encerrar as atividades de psicografia:

  - Devo trabalhar na recepção de mensagens e livros até o fim da minha vida atual?
  - Sim, não temos outra alternativa.
    O autor dos cem livros insistiu.
  - E se eu não quiser? A doutrina espírita ensina que somos portadores do livre-arbítrio para decidir sobre nossos próprios caminhos.

    Emmanuel sorriu e deu o veredito:

- A instrução a que me refiro é semelhante a um decreto de desapropriação, quando lançado por autoridade na Terra. Se você recusar o serviço a que me reporto, os orientadores dessa obra de nos dedicarmos ao cristianismo redivivo terão autoridade para TIRAR VOCÊ DE SEU ATUAL CORPO FÍSICO.
 (Grifo de Silvia de Oliveira, que analisou o texto da página 190 da citada biografia)

Isso mesmo que você leu. Emmanuel ameaçando Xavier de morte, mesmo usando uma linguagem rebuscada, algo muito comum a espíritos enganadores. Espíritos realmente superiores possuem linguagem clara e de fácil compreensão. Ou seja, o mito de Emmanuel ser um "espírito de luz" foi finalmente derrubado. Emmanuel é o senhor das trevas, usando linguagem vulgar.

Como a morte de Xavier se deu numa data escolhida, adequada a proposta de alienação intelectual defendida pelos jesuítas, é muito provável que a estranha morte de Xavier tenha sido decidida por Emmanuel ou alguém de sua falange mal intencionada.

É preciso tirar a influência desse espirito mal intencionado na propagação da doutrina no Brasil. Enquanto as rédeas estiverem nas mãos de espíritos "trevosos" como estes padres e madres e seus capangas jesuítas, a humanidade brasileira não evoluirá e o Espiritismo continuará sendo essa seita igrejista de cacoetes católicos que solenemente ignora e contradiz o que foi escrito nos primórdios karcecianos do Espiritismo.

-----------------------------------------------------------
OBS: * A biografia sobre Chico Xavier escrita por Souto Maior é um livro que, apesar de iconoclasta, serviu de base para a cinebiografia produzida pela TV Globo, que por isso mesmo, teve que ser cuidadosamente limada, se limitando à infância, ao início da mediunidade e a famosa entrevista no programa Pinga Fogo, em 1971, onde o médium foi bem franco e sincero nas respostas, muitas vezes indo contra à doutrina e ao que seus admiradores pensavam, já que confundiam a franqueza e sinceridade de Xavier com humildade. 

Xavier nunca foi líder, não era melhor que ninguém. Apenas um carteiro, que recebia e entregava cartas, de gente de tudo quanto é tipo, incluindo gente mal intencionada, pois o médium, que nunca estudou de fato o Espiritismo, apesar de ser considerado erradamente o maior nome da doutrina no Brasil, nunca analisou nem verificou as mensagens que recebia, também não analisadas pelos seus próximos, sobretudo pela FEB, que só estava interessada em publicar e vender, lucrando muito às custas da mitologia que estava ao redor do pobre e ingênuo médium. 

Outra coisa. Apesar de acabar com alguns mitos, a FEB gstou do trabalho de Souto Maior e pediu para fazer uma ficção inspirada na vida de Allan kardec, cheia de erros biográficos propositais, para transformá-lo em um líder religioso,quase um Papa.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

Madre Teresa de Calcutá e a caridade como mercadoria