Chico Xavier quis "matar" os escandinavos?

(Autores: Profeta Gandalf e Saddam Hayek)

As previsões de um estranho sonho de Chico Xavier estão vindo a tona por causa de um documentário baseado em um livro, este baseado numa conversa informal que revelou tal sonho.

Segundo Xavier, numa profecia que vai contra tudo aquilo que está na codificação, sobretudo o que foi publicado no livro A Gênese, de Allan Kardec, diz que uma série da fenômenos naturais desastrosos irão preparar o planeta para que supostamente apenas o hemisfério sul, sobretudo o Brasil, pudesse permanecer intacto, para que - preparem os risos - as lições do Evangelho católico pudessem ser espalhadas pelo mundo, criando um ambiente religioso de amor e paz.

As mesmas profecias afirmam - essa é para chorar - que o hemisfério norte será todo destruído porque o seu "ateísmo" prejudicaria os planos de "evolução terrestre" guiado pela expansão do Cristianismo. Apenas os habitantes mais "compromissados com o Evangelho" seriam poupados, com oportunidades criadas para se deslocarem para o Brasil, que seria potência mundial e líder do planeta.

É uma teoria delirante e bastante ufanista. Um festival de incoerências que NUNCA deve ser considerado como parte da Doutrina Espírita. E essa verdadeira coletânea de bobagens incluiu algumas atrocidades cruéis que desmentem a fama de bondade do ingênuo médium tratado desde o tal episódio como "profeta".

Escandinávia, verdadeira sociedade mais evoluída do planeta

Repararam que a tal profecia fala em destruição do hemisfério norte? Repararam que nesta parte do planeta é que se encontram as nações cuja população é mais evoluída, sobretudo a do norte europeu, conhecido como Escandinávia?

A Escandinávia, limite territorial formado pelos países Noruega, Finlândia, Dinamarca, Suécia, Islândia e algumas pequenas ilhas, é mundialmente conhecido como a parte mais evoluída do planeta. Altamente intelectualizados como ninguém, os escandinavos, longevos habitantes do planeta, tem qualidades que justificam a sua posição de povo mais desenvolvido intelectual e moralmente.

Seu senso de justiça, senão perfeito, é muito alto. Conseguem resolver problemas graves, sobretudo climáticos. Sua economia é equilibrada e há justa distribuição de renda. Sua educação é das melhores e os alunos saem com emprego garantido, além de ter um senso responsável de cidadania que não se vê na maioria das nações. Sua cultura é elevada. 

Para se ter uma ideia, uma "bobagem" como o ABBA, grupo mundialmente mais famoso da região, fazia um som elaborado e com letras bem feitas, levando em conta que os compositores mal sabiam falar inglês. Se uma banalidade musical como o ABBA é tão caprichada em suas criações, imagine como deve ser a música intelectualizada produzida na região, como o Sigur Rós, por exemplo.

Evoluir eliminando os evoluídos? Sei não...

E o que esse tal de Xavier pensa que está fazendo? Trocar os seculares escandinavos, experientes e altamente sensatos por uma horda de descendentes de deserdados que nunca consegue resolver probleminhas banais? Um povo que não consegue se liderar, irá liderar a humanidade?

Se é para evoluir o planeta, porque eliminar o povo mais evoluído e entregar a liderança mundial a um povo bocó que só sabe empinar o traseiro, encher a cara de cerveja e achar que futebol traz qualidade de vida? 

Se Xavier assumisse que o planeta NÃO IRIA EVOLUIR, talvez seja compreensível, eliminar os melhores para irem a planetas superiores e deixar os tolos por aqui ainda pagando pelos erros típicos de um planeta atrasado como o nosso. Mas não: Xavier garantia que a previsão dele tinha o objetivo de evoluir o planeta. Bom, "evoluir" segundo o conceito de evolução dos católicos que acreditam em reencarnação, que se auto-rotulam como "espíritas" brasileiros.

Aprendamos com os seculares escandinavos

Essa teoria é uma ofensiva ilusão e que não vai acontecer cataclismo nenhum. Fiquem tranquilos os escandinavos. Eles continuarão entre nós, servindo de exemplo de sociedade justa, sábia e que sabe resolver seus problemas. Uma exemplar tradição aprendida de forma muito dura, através de muito sofrimento e esforço, através de muitos séculos.

Quanto aos brasileiros, integrantes de um povo jovem com apenas 514 aninhos de idade (um bebezão!), ficaremos na mesma, como capacho do mundo. Isso enquanto continuarmos na teimosia de defender valores duvidosos e priorizar formas de diversão e de crença que não levam a lugar nenhum. Liderar o mundo não é a nossa meta e estamos bem imaturos para liderar a nossa própria população, o que dirá com os outros.

Aprendamos com os escandinavos. Religiões são mitologias, entretêm, mas nos prendem em ilusões, como a fantasiosa profecia do pseudossábio Chico Xavier, um católico devoto. Talvez o experiente ateísmo altruísta dos escandinavos tenha muita coisa a nos ensinar em matéria de justiça, amor, educação e qualidade de vida. 

Abandonemos a arrogância chiquista. Não temos condições de liderar o mundo mesmo, fazer o quê?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

Madre Teresa de Calcutá e a caridade como mercadoria