Chico Xavier não atingiu a evolução máxima. Acreditem: ele era inferior a muitos de nós

(Autor: Kardec McGuiver)

Os seguidores de Chico Xavier sempre se empenharam em criar uma mitologia em torno do médium para que ele atraísse fiéis e favorecesse a venda de livros psicografados ou por ele ou por médiuns discípulos. E muitos lançavam mão de exageros para transformar o médium em um semi-deus, um ser superpoderoso e dono da verdade que nunca poderia ser criticado.

E não é que inventaram que Chico Xavier "atingiu a evolução máxima", "não precisando mais reencarnar"? Isso vai contra o que os espíritos disseram a Kardec, de que "todos os espíritos em um mesmo planeta, reencarnados ou na pertencem a mesma ordem espiritual do planeta". Ou seja, é impossível haver espírito de "evolução máxima" entre nós, havendo na verdade vários subníveis dentro de um mesmo patamar de evolução espiritual.

E Xavier? Ih, pobre coitado... Era um ingênuo que não sabia o que estava fazendo no Espiritismo. Como ele seria de evolução máxima se observando os traços de sua personalidade e suas atitudes, certamente chegaríamos a conclusão de que ele era bastante inferior? Esqueçam a ideia de que inferior significa espírito mau. A Terra é um planeta de provas e expiação e quem está nele é somente de evolução inferior. Seja bom, seja mau, seja burro ou seja sábio.

Chico Xavier tinha tudo para ser, do contrário que a mitologia sugere, muito mais inferior que a maioria dos seres humanos. Caipira de fala mole, não tinha iniciativa, era bastante medroso e submisso, era indeciso sobre suas crenças, caindo no Espiritismo de para-quedas só porque foi excomungado pela Igreja Católica que tanto amava e amou até fim de sua vida. Não conhecia e nunca estudou o Espiritismo, o que fez cometer um festival de erros, muitos graves, todos infelizmente aceitos com base no falso prestigio do ingênuo médium.

Xavier praticou alumas fraudes, autenticou outras fraudes, praticou mediunidade irresponsável, tendo um espírito de índole duvidosa como "mentor", escreveu livros com graves erros e vivia contradizendo Allan Kardec. Isso apesar de ser considerado por muitos o seu discípulo e por alguns trouxas o próprio Kardec reencarnado, que a lógica provou com todas as letras e acentos ser um completo absurdo, quase uma grave ofensa ao codificador.

Como um ser com muitas falhas pode ser de "evolução máxima"? Como um cara que nuca usou bem o cérebro pode ter encerrado a sua reencarnação, tendo muito o que aprender. Dizer que Chico Xavier não precisa mais reencarnar é o mesmo que aprovar com honras um aluno faltoso que só tira nota zero na escola, entregando um diploma de graduação a ele.

Chico Xavier era muito mais inferior que muitos de nós. Era um ser que ainda estava engatinhando na evolução da humanidade. Somente os mais tolos acreditam em sua superioridade. Somente a má compreensão da Doutrina Espírita pode considerar Chico Xavier de "máxima evolução". 

Mesmo não sendo de todo mau - enganou as pessoas mais por negligência e falta de estudo do que por maldade - o médium mais famosos do país ainda tinha um milhão de toneladas de coisas para aprender. Se Chico Xavier não era mau, no minimo era um irresponsável.

A mania das pessoas de querer livrar Chico Xavier de suas responsabilidades deve parar. Por não ser melhor que ninguém, Xavier deve responder pelos seus erros e para isso precisará de no minimo mais de mil reencarnações para poder ser colocado em situações desafiadoras para que pudesse desenvolver aptidões, sobretudo a intelectual que era bastante atrofiada.

Esqueçam essa bobagem de "evolução máxima de Chico Xavier". Bobagem inclusive narrada como se fosse um conto de fadas igrejista. Até porque não é na região que se encontram os espíritos mais evoluídos da Terra e sim na ciência, pois o intelecto, tão subestimado pelos brasileiros,  é indispensável para a evolução espiritual. 

Ou acham que os planos espirituais mais altos são povoados por burros bonzinhos com harpinha na mão e asinhas nas costas?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

Madre Teresa de Calcutá e a caridade como mercadoria