Pular para o conteúdo principal

O grave equívoco da ideia de "vencer a si mesmo"

(Autor: Professor Caviar)

As pessoas adoram o discurso religioso que fala em "vencer a si mesmo". A ideia de que o indivíduo é seu próprio inimigo que deve ser combatido. Uma falácia pretensamente filosófica, que se reforça diante de apropriações de frases soltas de filósofos e pensadores, em muitos casos mal interpretadas e mal traduzidas.

No "espiritismo" brasileiro, se trabalha esse discurso como se fosse uma "ideia linda" e "estimulante". A ideia do "inimigo de si mesmo" como meio de suposta emancipação humana, é tão exaltada por seus adeptos, que acreditam que tal ideia, apesar de austera, é uma "lição de sabedoria" e "exemplo de vida".

Só que, pensando justamente à luz da Filosofia, vemos que esse conceito de "vencer a si mesmo" é um grande equívoco. E isso não é difícil de entender, pela combinação de situações nesta "competição individual" que só é vista parcialmente.

Paremos para pensar. Numa competição, numa luta, há um vencedor e há um derrotado. Quando alguém vence, outro alguém perde. A vitória de alguém ocorre em função da derrota do outro. Neste sentido, o que podemos entender o sentido de "vencer a si mesmo"?

Simples. Se a pessoa "vencer a si mesma", isso quer dizer que ela também é a própria derrotada. A pessoa acaba sendo, ao mesmo tempo, vencedora e derrotada, e aí entra uma grande contradição. A ideia de "vencer a si mesmo" ou de "inimigo de si mesmo" é falaciosa, porque reflete uma grande confusão que pode estimular atos suicidas.

O "espiritismo" brasileiro, portanto, tem seu "jogo da Baleia Azul", o jogo de "vencer a si mesmo". Os "espíritas" abraçaram a causa da Teologia do Sofrimento e demonstram pouco caso com a desgraça humana. E aí ficam fazendo todo um malabarismo discursivo, estufando o peito e falando que o outro deve "combater o maior inimigo, que é ele mesmo". Um suposto médium botou até mesmo essa ideia na conta de Raul Seixas, numa apropriação indébita de sua pessoa, sob o nome Zílio.

Essa ideia é equivocada e bastante perigosa. Pode levar alguém a se suicidar, liquidando com "ele mesmo, seu maior inimigo". Quando os "espíritas" revisarem seus argumentos, inicialmente taxativos, depois diluídos em explicações confusas, é tarde demais, já produziram seus cadáveres pela apologia ao sofrimento.

Além disso, se o indivíduo "vencer a si próprio", ele pode ser o vencedor, mas também é o derrotado. E em que o indivíduo será derrotado, aí está o problema, como no caso da perda da individualidade, na desqualificação da vida, na criminalização do prazer, no desenvolvimento da servidão, aspectos bastante sombrios que o discurso religioso oculta no seu balé de palavras bonitas. Daí o grave equívoco dessa ideia, tão improcedente quanto perigosa, a de "vencer a si mesmo" ou ser "inimigo de si próprio".

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

(Autor: Professor Caviar)
Na madrugada de ontem, numa serra na Colômbia, um trágico acidente ceifou quase todos os ocupantes de um avião que levava a equipe catarinense Associação Chapecoense de Futebol, time conhecido como Chapecoense ou, simplesmente, Chape.
No acidente, inicialmente 75 pessoas faleceram. A maioria dos jogadores do Chapecoense, parte da tripulação boliviana que estava no avião, jornalistas e dirigentes esportivos. Apenas seis pessoas foram resgatadas com vida. O famoso zagueiro Neto foi resgatado com vida, e está sob cuidados médicos.
A tragédia comoveu o mundo inteiro e revelou um sonho interrompido de um time em ascensão. Consta-se que o Chapecoense era melhor do que muito time festejado que vence fácil qualquer torneio, e seu time era considerado de grande entrosamento. Com a perda de muitos desses jogadores, o time terá que recomeçar a temporada de 2017 do zero, provavelmente aproveitando jogadores juvenis.
Sob a ótica "espírita", fala-se que o aciden…

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

(Autor: Artur Felipe Azevedo)
Nosso Sistema Solar é composto de 8 planetas. Um leitor anônimo escreveu um comentário, dizendo o seguinte:

"Respeito a opnião (sic) de vocês, mas estão um pouco desatualizados. Se não sabem, foi descoberto um planeta próximo a Plutão, denominado Planeta X, mas que anteriormente foi citado pelo medium Chico Xavier como o Planeta Chupão. Se voces ligarem a teoria espirita com a lógica, viriam que jamais ela errou, mas se exitam em falar sem ao menos saber em que se resume tal coisa. http://geniusvirtual.blogspot.com/2009/07/seria-o-apocalispe-o-planeta-chupao.html  Esse link acima é para a reportagem completa, e abaixo dela está a fonte. Essa repostagem nao é espirita, é científica.
Parem um pouco e leiam para depois falar. É por isso que sempre digo: NÃO PODEMOS FALAR MAL DE ALGUMA COISA QUE NAO CONHECEMOS COMPLETAMENTE, APENAS SE APOIANDO EM SUPOSTOS COMENTARIOS OU SUPOSIÇÕES."


Bem, vemos que o colega ramatisista parece convencido da existência do …

Não quiseram cortar o mal pela raiz? Agora o estrago foi feito. Aguentem!

(Autor: Kardec McGuiver)
Muita gente reclama atualmente das críticas feitas a Chico Xavier. Não são críticas inventadas, são observações dos inúmeros erros cometidos pelo beato católico transformado em "liderança espírita" graças a um festival de manipulações feitas pelas lideranças da FEB, interessadas em fabricar um "santo vivo" para atrair gente e consequentemente, dinheiro. Dinheiro que ia muito pouco para a caridade e mais para as lideranças.
Se esquecem essas pessoas, cegas pela idolatria fanática a um verdadeiro charlatão que foi Chico Xavier, que se tudo fosse evitado antes, nada disso teria acontecido. Era preciso cortar a erva daninha no início, mas preferiram alimentá-la e deixar crescer. Hoje Chico Xavier é uma planta carnívora em dimensões colossais e o estrago que causou no Espiritismo se tornou algo praticamente irreversível.
Claro que houve tentativas para denunciar o charlatão no início. Mas sem a internet ou meios que propagassem as denúncias, el…