Pular para o conteúdo principal

A intolerância "espírita" com o nome de J. B. Roustaing

(Autor: Professor Caviar)

Os "espíritas" brasileiros reclamam da intolerância dada contra eles, como se eles tivessem razão em cometer as suas contradições, omissões e outras irregularidades, várias delas gravíssimas.

Quem critica a deturpação da Doutrina Espírita, sem poupar os deturpadores - não nos esqueçamos que eles são os praticantes e divulgadores da deturpação - , não o faz por intolerância religiosa, mas por intolerância à desonestidade, à mentira e à dissimulação.

Da "mediunidade" que não condiz à natureza pessoal do autor morto alegado ao igrejismo clonado da Igreja Católica, passando por devaneios materialistas do mundo espiritual usados para defender o sofrimento extremo na Terra, tudo isso faz do "espiritismo" uma religião cujo conteúdo se distanciou seriamente do legado original de Allan Kardec.

Toleramos movimentos religiosos como a Igreja Católica, as religiões muçulmanas e as protestantes porque, com todas as fantasias que apresentam, elas demonstram honestidade doutrinária e até mostram expressões culturais bastante interessantes.

Já o "espiritismo", que nem sequer identidade cultural possui, se serve do engodo doutrinário que clona ritos e dogmas da Igreja Católica, e se fundamenta na dissimulação de suas atividades e posturas inconvenientes. Há palestrantes "espíritas" que se dizem contra a "vaticanização", mas que são os primeiros a louvar o legado do imperador Constantino para Roma.

Hoje vemos o "espiritismo" caminhar para reduzir-se à mera repaginação do Catolicismo medieval jesuíta, que vigorou no Brasil-colônia, e isso se mostra evidente em muitos momentos. A exaltação de jesuítas nas "casas espíritas" de todo o Brasil sinaliza tudo isso.

É vergonhoso que seus palestrantes digam que rejeitam a "vaticanização" do Espiritismo, citem os alertas de Erasto e se julguem "rigorosamente fiéis a Kardec", mas cometem traições diversas, louvando o igrejismo e recomendando até romances "espíritas" do mais mofado moralismo medieval.

Ou então todos se escondendo pelo pretexto da "filantropia", aquela "caridade" que tanto impressiona a muitos não pelos resultados feitos - muito medíocres e limitados - , mas pela associação com o ídolo religioso e sua mística fabulosa do apelo à emoção (Ad Passiones), uma "bondade" que beneficia mais a reputação do "benfeitor" do que traz benefícios aos mais necessitados.

E isso piora as coisas, porque é o uso leviano da ideia de "caridade" para legitimar a deturpação e garantir o estrelato dos deturpadores, sobretudo os "médiuns" que vivem do culto à personalidade e fazem turnês em aviões de primeira classe para palestras em bons hotéis no Brasil e no mundo, enquanto os pobres só recebem poucos e frágeis benefícios. E temos que tolerar essa leviandade que ludibria as pessoas...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Silêncio da imprensa em torno do caso Divaldo Franco-João Dória Jr. é grave

(Autor: Professor Caviar)
De repente, até a imprensa de esquerda desaprendeu a fazer jornalismo. O prefeito de São Paulo, João Dória Jr., enquanto divulgava a intragável "farinata", composto alimentar de procedência e valor nutricional duvidosos, exibiu o tempo todo a camiseta do evento Você e a Paz, comandado pelo "médium" Divaldo Franco. O silêncio total da imprensa quanto a este aspecto tem muito o que dizer, e não são coisas boas.
Em primeiro lugar, João Dória Jr. não exibiu a camiseta do Você e a Paz porque foi a única camiseta branca que encontrou ele que costuma usar camisas de colarinho e paletó. Também não foi uma iniciativa comparável à de um moleque usando camiseta de banda. Houve um propósito para João Dória Jr. aparecer vestindo a camiseta do Você e a Paz, na qual havia o crédito do nome de Divaldo Franco.
Nenhum jornalista, por mais investigativo que fosse, chegou sequer a perguntar: "ora, se a 'farinata' era apoiada pela Arquidiocese de…

Por defender a ditadura militar, Chico Xavier devia perder homenagens em logradouros

(Autor: Professor Caviar)

Pode parecer, para muitos, cruel e injusto, mas a verdade é que Francisco Cândido Xavier deveria perder as homenagens dadas a logradouros por todo o país.
Na famosa entrevista ao programa Pinga Fogo, em julho de 1971, Chico Xavier exaltou a ditadura militar, com muita convicção, e disse para orarmos para as Forças Armadas, porque os militares estavam construindo o "reino de amor" do Brasil futuro.
Demonstrando um raivoso direitismo, Chico Xavier simplesmente disparou comentários contra manifestantes sem-terra e operários, com um reacionarismo descomunal e que muitos não conseguem imaginar, apegados à "dócil imagem" atribuída ao anti-médium mineiro. Quem duvida, é só ver o vídeo no YouTube. E é o próprio Chico Xavier quem diz, para tristeza de seus seguidores.
Ele defendeu a ditadura militar num contexto em que ela se mostrou bem mais repressiva. Era a época do DOI-CODI, principal órgão de repressão, que aprisionava, torturava e matava pri…

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

(Autor: Artur Felipe Azevedo)
Nosso Sistema Solar é composto de 8 planetas. Um leitor anônimo escreveu um comentário, dizendo o seguinte:

"Respeito a opnião (sic) de vocês, mas estão um pouco desatualizados. Se não sabem, foi descoberto um planeta próximo a Plutão, denominado Planeta X, mas que anteriormente foi citado pelo medium Chico Xavier como o Planeta Chupão. Se voces ligarem a teoria espirita com a lógica, viriam que jamais ela errou, mas se exitam em falar sem ao menos saber em que se resume tal coisa. http://geniusvirtual.blogspot.com/2009/07/seria-o-apocalispe-o-planeta-chupao.html  Esse link acima é para a reportagem completa, e abaixo dela está a fonte. Essa repostagem nao é espirita, é científica.
Parem um pouco e leiam para depois falar. É por isso que sempre digo: NÃO PODEMOS FALAR MAL DE ALGUMA COISA QUE NAO CONHECEMOS COMPLETAMENTE, APENAS SE APOIANDO EM SUPOSTOS COMENTARIOS OU SUPOSIÇÕES."


Bem, vemos que o colega ramatisista parece convencido da existência do …