Evidências que comprovam que Chico nunca teria sido Kardec. E quais os interesses por trás dessa tese absurda

(Autor: Kardec McGuiver)

Infelizmente, para muitas pessoas que pensam ser "espíritas", existe a crença de que Chico Xavier seria a reencarnação de Allan Kardec. Uma tese absurda que pode ser facilmente derrubada e que defendida, se assume como uma verdadeira ofensa à Doutrina Espírita, pois vários pontos citados na codificação e também fora dela, comprovam que as duas personalidades nunca poderiam ser o mesmo espírito. A personalidade era completamente diferente, a olhos vistos.

Já falamos várias vezes nesta tese absurda que traz conforto a uma multidão de ingênuos que não conseguem trabalhar com a lógica e o bom senso. Aqui abaixo colocamos alguns pontos que encerram de uma vez esta questão, provando, através da sensatez, que Chico Xavier nada teve a ver com Allan Kardec, não passando de um simples católico que falava com os mortos.

Lembrando que por suas características pessoais e sua responsabilidade doutrinaria, Allan Kardec muito provavelmente reencarnou em um planeta mais evoluído, que fosse adequado ao seu nível intelectual. Xavier, coitadinho, do contrário de sua mitologia, teve que reencarnar na Terra e certamente você deve ter batido com ele na rua, como um cidadão humilde a responder pelos seus enganos.

Aqui estão os pontos que comprovam a impossibilidade de Chico Xavier ter sido a reencarnação de Allan Kardec:

1 - Kardec teve temperamento firme, decidido; Xavier teve personalidade mansa, submissa e hesitante.
2 - Kardec não era médium, mas era cientista; Xavier era médium, mas não era cientista.
3 - A pesquisa de Kardec exigia informações trazidas por uma variedade de espíritos; Para Xavier, bastava o de dois: Emmanuel e "André Luiz", este provavelmente um personagem fictício.
4 - Kardec criticava a Igreja Católica e entrou em atrito com ela; Xavier, mesmo excomungado, levou todo o repertório de crenças do Catolicismo e os enxertou na versão brasileira da doutrina.
5 - Os livros de Kardec eram claros e concisos; Os de Xavier eram rebuscados, prolixos e cheios de erros de informações, muitos bem grosseiros.
6 -  A doutrina de Kardec era aberta, permitindo novas discussões; A de Xavier é confusa e fechada, altamente dogmática e sem base intelectual que possa sustentá-la.
7 - Xavier falou uma vez que era reencarnação de um intelectual falido. Com certeza, este intelectual não era Kardec, que apesar da impopularidade, conseguiu cumprir a sua missão de intelectualização, com obras baseadas na pesquisa e na análise e não na fé cega, como são as obras o médium mineiro.

Os interesses por trás da defesa da tese absurda de que Kardec e Xavier eram o mesmo espírito:

1 - Aumentar o prestígio da versão brasileira, agregando a influência do professor lionês que "teria retornado à Terra como o médium mineiro".
2 - "Espíritas" brasileiros são materialistas. E como tais ainda divinizam a divisão política do Brasil. A reencarnação de Kardec em Chico satisfaria esse ufanismo doentio que contraria qualquer ponto da doutrina original, servindo mais para autenticar a crença no "Povo Escolhido" enxertado de outras seitas e religiões.
3 - Favorecer a venda dos livros de Xavier, como se fossem continuação "atualizada" das obras da codificação.

Curioso que as pessoas acreditam nesta tese com a tola ideia de que Kardec focalizava o Brasil. Sinto dizer que o Brasil não estava nos interesses de Allan Kardec, que viajou muito para PESQUISAR e não iria ficar perdendo tempo com igrejismo. 

Há uma carta falsa circulando pela internet, retirada de um suposto livro montado pela FEB (os maiores interessados nesta farsa), supostamente ditada por Kardec ais brasileiros que só pelo conteúdo igrejista (há até louvor a um anjo) já dá para perceber que é falsa, sendo das duas, uma: ou de um espírito mistificador que fingiu ser Kardec ou encarnados que escreveram.

E o nosso veredicto final e irrevogável: CHICO XAVIER NUNCA FOI KARDEC! E não se fala mais nisso!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

Madre Teresa de Calcutá e a caridade como mercadoria