"Reforma" trabalhista desqualifica "Espiritismo" brasileiro

(Autor: Kardec McGuiver)

Ontem, um verdadeiro ato de irresponsabilidade foi cometido no Congresso Nacional. Foi aprovada a Reforma Trabalhista, uma medida que propõe eliminar a CLT e retornar a um estágio anterior ao século XX, onde a precarização do trabalho era regra e o trabalhador obrigado a viver em condições sub-humanas. 

Algo que mostra que nossas elites, do contrário que muitos pensam, são as mais retrógradas. São os velhos senhores de engenho redivivos, cobrando dos políticos a volta da escravidão, para que pudessem legitimas e preservar a ganância que os faz ter êxito as custas do sofrimento alheio. Êxito às custas do sofrimento alheio: eu pensava que isso era privilégio de bandidos.

O "Espiritismo" brasileiro, cheio de contradições, sempre imaginou a virada para  século XXI como época de radicais avanços, de progressos acelerados e de grande ação afetiva-intelectual pelas pessoas. 

A realidade está mostrando que isso é uma farsa e que quando Allan Kardec falou que a evolução seria lenta e gradual é porque seria LENTA E GRADUAL. Lenta e gradual não são mil anos, mas talvez bilhões, trilhões de anos. Ou seja, ainda estamos na barbárie, caros "espíritas" de araque.

Barbárie esta que acaba de eliminar o mais básico dos direitos: o direito ao trabalho. O direito de ter um meio para se sustentar e viver com dignidade. Sempre tivemos o pior salário mínimo (cerca de 900 reais, quando uma vida realmente digna exige o minimo de 3000 reais) e pelo jeito nem isso passaremos a ter. Fora o enfraquecimento do movimento sindical, o que soa como uma muito bem disfarçada mordaça.

Especialistas alertam com sensatez que as chamadas "reformas" são o retorno da escravidão. A lei Áurea, assinada pela Princesa Isabel (muito bajulada pelos "espíritas" brasileiros) foi finalmente revogada. Bezerra de Menezes nos deve uma explicação plausível que seja convincente.

Isso mostra que a falacia de que estaríamos evoluindo, rumo a suposta liderança planetária foi para o ralo. Como diz sabiamente Gilberto Gil e Caetano Veloso, críticos do golpe apoiado pelos "espíritas", o Haiti é aqui. Aos poucos vai se construindo uma condição em que a gigantesca maioria da população viverá em condições sub-humanas, com uma vida muito abaixo do mínimo de dignidade. Igual como é no Haiti e na maioria dos países do continente africano.

Empresário, juízes, celebridades e os políticos que os representam, viverão na plenitude, às custas da exploração do resto da população que terá que trabalhar muito para ganhar quase nada. O "Espiritismo" tem grande responsabilidade nisso, pois em mais de 100 anos de existência, nada fez para reeducar a população e nada cobrou de autoridades, limitando a agradecê-las pelos supérfluos prêmios recebidos.

Com a situação atual do Brasil, o "Espiritismo" rompe de uma vez por todas com o mundo real, se tornando uma seita alienada igual as outras, cujos dogmas absurdos só servem para isolá-los em um mundinho de fantasia que só existe nas mentes de seus seguidores, negligenciando a responsabilidade de educação que era proposta pela doutrina original.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

Madre Teresa de Calcutá e a caridade como mercadoria