Leitor critica retratação fácil dos questionadores da deturpação do Espiritismo

(Por Rafael Alvarez, via e-mail)

Os críticos da deturpação espírita não têm firmeza. Eles começam questionando a igrejificação da Doutrina Espírita, apontam os erros do Espiritismo que se faz no Brasil, reprovam o que chamam de "vaticanização" etc. Mas quando a coisa chega aos tais "médiuns", o pessoal recua. 

"Ah, é puro amor e bondade, não sei não...", dizem, muito melindrosos. Fazem ressalvas aqui e ali, sobre os "médiuns" que vivem em completo estrelato, mas como são ídolos religiosos, sempre têm aquela pose de "pessoas simples", com aquele discurso macio que seduz a todos, menos pessoas como eu.

Aí fiquei lendo os últimos textos de Divaldo Franco e noto o quanto ele foi infeliz em chamar os refugiados do Oriente Médio de "velhos colonizadores". Chico Xavier fez o mesmo com as vítimas daquele incêndio num circo de Niterói. E a gente, quando critica isso, deixa muitos assustados.

O pessoal recua fácil. E Chico e Divaldo nem são bonitos e as frases que eles dizem nem são tão maravilhosas assim. Chico dizia para a gente aceitar as desgraças e fingir que está tudo bem. Divaldo, com aqueles textos rebuscados, só precisa citar palavras como "amor" e "paz" para o pessoal achar que ele está sendo "simples e direto", se esquecendo das ideias confusas e igrejeiras que o tal "médium" da Mansão do Caminho difunde para aliciar as pessoas.

Prestem atenção nos livros deles! Eles difundiram o igrejismo extremado, velho, mofado! Foram orientados por espíritos autoritários, o que derruba de vez qualquer mérito! A caridade atribuída a eles é fraca, mero assistencialismo que não trouxe nenhuma mudança profunda na vida das pessoas! Como é que, criticando a deturpação, se inocenta os deturpadores? Eles têm que ser responsabilizados, sim, pelos desvios doutrinários feitos em prejuízo ao legado de Kardec!

Temos que ter a firmeza de uma Leah Remini, que está lá para denunciar a Cientologia - doutrina mistificadora muito parecida com nosso Espiritismo - e fez até documentário e livro relatando todas as farsas. Aqui ninguém denuncia as irregularidades do Espiritismo no Brasil e muitos ficam com essa postura mole de achar que basta o deturpador ler melhor Kardec para tudo ficar em paz! Pode isso?

Não, não pode! E isso não é uma questão de intolerância, raiva, ódio! É questão de dizer que fulano traiu Kardec e deve ser responsável por isso. Não se pode esconder atrás de crianças pobres e velhinhos doentes para se livrar da culpa, não! Há 40 anos esse pessoal promete "ler melhor os livros de Allan Kardec" e não resolvemos coisa nenhuma sobre os problemas doutrinários. A boa teoria nem sempre garante a boa prática.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

Madre Teresa de Calcutá e a caridade como mercadoria