O sonho de ver "toda a humanidade seguindo o "Espiritismo" se encerra definitivamente

(Autor: Kardec McGuiver)

O que boa parte dos brasileiros entende como "Espiritismo", na verdade uma gororoba pseudo-ecumênica de conceitos de várias religiões, muitos do Catolicismo medieval, está prestes a ruir. Há mais de 100 anos sem aumentar a quantidade de seguidores (nunca sai dos 2% declarados oficialmente), começa a perder seguidores, já que as contradições presentes no seu repertório dogmático não para de aumentar.

O "Espiritismo" brasileiro, que na retórica se define como uma "doutrina racional", se afasta cada vez mais da realidade, pois não consegue se livrar dos absurdos contidos no seu repertório dogmático. As contradições estão cada vez mais perceptíveis e tem gerado desentendimentos até entre suas lideranças. Ou seja, ficou difícil enganar os seguidores usando o papo furado do amor e da caridade, através de sua filantropia de resultados pífios.

Já deu para perceber de forma bem clara e definitiva que o "Espiritismo" brasileiro nada tem de científico. Seus dogmas carecem de séria racionalidade. Seus dogmas são aceitos sem análise profunda. E a ciência tem o único papel de autenticar esses dogmas, fazendo os fiéis aceitarem como realidades absolutas "pré-verificadas pela lógica". 

A coisa ocorre de tal forma que vários palestrantes e várias lideranças "espíritas" são tratadas como "sábios" porque supostamente vivem estudando os conceitos, garantindo uma falsa segurança nos fiéis da Igreja "espírita" camuflada de doutrina científica. Estes fiéis passam a acreditar nas teses mais absurdas, porque elas vem de lideranças confiáveis que supostamente as estudaram.

Mas aos poucos a reputação dessas lideranças "altamente confiáveis" vai caindo, pois se os fiéis passarem a verificar o que é dito, perceberão que muitas delas são absurdas, impossíveis de serem verdade. Todas entram em contradição séria com a doutrina original. Varias entram em acordo com o mais medieval Catolicismo, pois foram inseridas por Chico Xavier, considerado a sua maior liderança (segundo pesquisas entre "espíritas" maior que Karde e até de Jesus).

Mas aos poucos, o resultado da falta de estudos e do rompimento ideológico com Kardec começa a aparecer, afastando os seguidores mais racionais, que começam a abandonar os centros e prestar maior atenção nas obras da codificação, que para os seguidores de Chico Xavier nunca passou de meros objetos de bajulação. Se Kardec fosse realmente seguido rigorosamente, lideranças como Bezerra, Chico e ate mesmo Divaldo seriam derrubados com a mesma facilidade de castelos de areia.

Mas como optaram pelo sedutor igrejismo iniciado por Bezerra e seguido pelas outras lideranças, misturado com conceitos estranhos e risíveis, descartando as pesquisas sérias de Kardec, a doutrina que se construiu no Brasil começa a ruir e caminhar para os eu inevitável fim. 

Para agravar, a adesão a ideais políticos de direita e a medonha Teologia do Sofrimento, completam o arsenal que irá metralhar de vez o "Espiritismo" brasileiro, que morrerá sem direito a se reencarnar, junto com o seu repertório de absurdos e contradições que fizeram com que o verdadeiramente sábio José Herculano Pires chamasse a doutrina de Seita de Papalvos. Pelo jeito vai faltar papalvos para sustentar a versão deturpada da doutrina e suas enganosas lideranças.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

Madre Teresa de Calcutá e a caridade como mercadoria