Pular para o conteúdo principal

"Espiritismo" e neopentecostalismo: qual é a pior religião?

(Autor: Professor Caviar)

Na corrida para tirar a supremacia oficial da Igreja Católica nas religiões brasileiras, duas seitas concorrem através de uma campanha midiática, persuasiva e aparentemente ativista.

O neopentecostalismo, derivado da Igreja Nova Vida, do canadense radicado no Brasil Robert McAllister, hoje está representado em vários movimentos, dos quais se destacam a Assembleia de Deus, a Igreja Internacional da Graça de Deus e, sobretudo, a Igreja Universal do Reino de Deus, ela proprietária de um grande complexo midiático, comandado pela TV Record de São Paulo e que inclui também emissoras de rádio e um jornal distribuído nas igrejas da IURD.

São várias seitas, das quais figuras como R. R. Soares, Edir Macedo, Silas Malafaia e Valdomiro Santiago "convidam" os brasileiros a retornar aos padrões de vida do Velho Testamento, a partir de pregações que, no caso da IURD, se manifestam principalmente nas chamadas "novelas bíblicas".

Os neopentecostais são em parte muito influentes no Poder Legislativo nas esferas federal, estadual e municipal no Brasil. Eles compõem a chamada "bancada da Bíblia" e estão comprometidos com propostas de profundo retrocesso social e limitadas aos padrões conservadores referentes à estrutura familiar, ao mercado de trabalho e às relações amorosas.

Outro movimento religioso é, como sabemos, o "espiritismo", na prática cada vez mais afastado dos ensinamentos originais do pedagogo Allan Kardec. Entregue aos "médiuns" deturpadores, que, com seu culto à personalidade, fazem o que querem com a Doutrina Espírita e a corrompem com igrejismo que remete mais ao Catolicismo medieval.

Os astros do "espiritismo" brasileiro são bastante conhecidos. Supostos médiuns como Francisco Cândido Xavier e Divaldo Franco comandam o espetáculo. Junto a eles, outros supostos médiuns como João de Deus e José Medrado ou então palestrantes como Alamar Régis Carvalho, Orson Peter Carrara e Richard Simonetti.

Todos eles se comprometem a reduzir o legado kardeciano a uma seita igrejista, embora não sejam raras as dissimulações, pois todos se dizem "espíritas autênticos", bajulam sem escrúpulos os verdadeiros espíritas e criam um engodo ideológico que mistura igrejismo, moralismo, cientificismo e esoterismo.

Enquanto a IURD aposta na veiculação das novelas bíblicas para atrair público, o "espiritismo" brasileiro lança mão da comercialização de romances "espíritas" e nas palestras espetaculares que só falam de temas banais. Em muitos casos, a Rede Globo, que mais blinda o "espiritismo", eventualmente investe em novelas "espíritas" espalhando a visão deturpada da doutrina francesa. Vale lembrar que a Globo blinda Chico Xavier e companhia.

O "espiritismo" brasileiro apenas tem como único e relativo diferencial uma embalagem "alegre" e "despretensiosa": um suposto movimento espiritualista, combinando fé e ciência, sem maiores pretensões e marcado pela filantropia e pela simplicidade, cujo ideário é marcado por belas palavras, mensagens positivas, recados agradáveis e conselhos de aparente sabedoria.

Mas isso é só embalagem, porque o conteúdo é bastante sombrio: um moralismo bastante severo, ideologicamente ultraconservador, aliado a um igrejismo dogmatista e, se não formalmente ritualístico como na Igreja Católica, é ritualístico com mais sutileza, como na defesa do "evangelho no lar", uma simples leitura de apreciação religiosa de traduções igrejeiras do livro O Evangelho Segundo o Espiritismo de Kardec.

Para piorar, o "espiritismo" brasileiro cada vez mais caminha para trás, enfatizando mais o seu igrejismo, se formatando para ser, na prática, não a adaptação brasileira da Doutrina Espírita original, mas a repaginação do velho Catolicismo jesuíta que vigorou no Brasil colonial até meados de 1750. Diante disso, o "espiritismo" brasileiro passa a pregar ideias medievais, como a famigerada Teologia do Sofrimento, que faz apologia da desgraça humana como meio de "chegar mais perto ao Céu".

Isso coloca neopentecostais e "espíritas" num mesmo nível retrógrado. Os neopentecostais que defendem retrocessos sociais e não aceitam transformações no âmbito das relações familiares, do mercado de trabalho, das relações amorosas, se equiparam aos "espíritas" que apelam para o sofredor aceitar suas próprias desgraças, abrir mão da individualidade e das próprias necessidades vitais, para viver uma vida qualquer nota, se reduzindo a um "boneco" manipulado pelas adversidades.

Enquanto os movimentos neopentecostais focalizam a "conversão" da sociedade brasileira aos padrões religiosos do tempo de Moisés (século XVI a. C.), o "espiritismo" brasileiro quer retroceder os padrões sociais dos brasileiros para os tempos do imperador romano Constantino (século III da nossa era). Em ambos os casos, a diferença apenas se dá quanto aos contextos dos tempos atuais, com zonas urbanas, aparelhos eletrônicos, televisão, WhatsApp etc.

Aí a gente pergunta. O que é pior? O neopentecostalismo ou o "espiritismo" brasileiro? Podemos dizer que uma não é pior que a outra, mas ambas são igualmente piores, na medida em que estabelecem barreiras severas ao progresso da humanidade.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Silêncio da imprensa em torno do caso Divaldo Franco-João Dória Jr. é grave

(Autor: Professor Caviar)
De repente, até a imprensa de esquerda desaprendeu a fazer jornalismo. O prefeito de São Paulo, João Dória Jr., enquanto divulgava a intragável "farinata", composto alimentar de procedência e valor nutricional duvidosos, exibiu o tempo todo a camiseta do evento Você e a Paz, comandado pelo "médium" Divaldo Franco. O silêncio total da imprensa quanto a este aspecto tem muito o que dizer, e não são coisas boas.
Em primeiro lugar, João Dória Jr. não exibiu a camiseta do Você e a Paz porque foi a única camiseta branca que encontrou ele que costuma usar camisas de colarinho e paletó. Também não foi uma iniciativa comparável à de um moleque usando camiseta de banda. Houve um propósito para João Dória Jr. aparecer vestindo a camiseta do Você e a Paz, na qual havia o crédito do nome de Divaldo Franco.
Nenhum jornalista, por mais investigativo que fosse, chegou sequer a perguntar: "ora, se a 'farinata' era apoiada pela Arquidiocese de…

Por defender a ditadura militar, Chico Xavier devia perder homenagens em logradouros

(Autor: Professor Caviar)

Pode parecer, para muitos, cruel e injusto, mas a verdade é que Francisco Cândido Xavier deveria perder as homenagens dadas a logradouros por todo o país.
Na famosa entrevista ao programa Pinga Fogo, em julho de 1971, Chico Xavier exaltou a ditadura militar, com muita convicção, e disse para orarmos para as Forças Armadas, porque os militares estavam construindo o "reino de amor" do Brasil futuro.
Demonstrando um raivoso direitismo, Chico Xavier simplesmente disparou comentários contra manifestantes sem-terra e operários, com um reacionarismo descomunal e que muitos não conseguem imaginar, apegados à "dócil imagem" atribuída ao anti-médium mineiro. Quem duvida, é só ver o vídeo no YouTube. E é o próprio Chico Xavier quem diz, para tristeza de seus seguidores.
Ele defendeu a ditadura militar num contexto em que ela se mostrou bem mais repressiva. Era a época do DOI-CODI, principal órgão de repressão, que aprisionava, torturava e matava pri…

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

(Autor: Artur Felipe Azevedo)
Nosso Sistema Solar é composto de 8 planetas. Um leitor anônimo escreveu um comentário, dizendo o seguinte:

"Respeito a opnião (sic) de vocês, mas estão um pouco desatualizados. Se não sabem, foi descoberto um planeta próximo a Plutão, denominado Planeta X, mas que anteriormente foi citado pelo medium Chico Xavier como o Planeta Chupão. Se voces ligarem a teoria espirita com a lógica, viriam que jamais ela errou, mas se exitam em falar sem ao menos saber em que se resume tal coisa. http://geniusvirtual.blogspot.com/2009/07/seria-o-apocalispe-o-planeta-chupao.html  Esse link acima é para a reportagem completa, e abaixo dela está a fonte. Essa repostagem nao é espirita, é científica.
Parem um pouco e leiam para depois falar. É por isso que sempre digo: NÃO PODEMOS FALAR MAL DE ALGUMA COISA QUE NAO CONHECEMOS COMPLETAMENTE, APENAS SE APOIANDO EM SUPOSTOS COMENTARIOS OU SUPOSIÇÕES."


Bem, vemos que o colega ramatisista parece convencido da existência do …