"Espíritas" vêm com aquela mesma promessa de "aprender melhor Kardec"

(Autor: Lineu Fraga dos Santos, via e-mail)

É sempre assim. Quando há uma crise entre os espíritas, acusados de práticas igrejeiras, mistificação e falsa mediunidade, o pessoal apela para a mesma promessa de que eles caíram na real e passarão a estudar melhor a obra do mestre Allan Kardec.

A gente ouve essa promessa há mais de 40 anos e não deu em nada. Isso só foi um papo mole para manter os tais "médiuns-estrelas" como os ultrabadalados Chico Xavier e Divaldo Franco, deturpadores da pior espécie, nos seus pedestais quando se decidir pela recuperação das bases de Kardec.

O que vemos no Espiritismo feito em nosso sofrido Brasil é um engodo no qual os palestrantes e escritores fingem que entendem bem a teoria de Kardec, mas depois vão para o recreio fazer a maior festa com práticas e conceitos igrejeiros. Não fazem o dever de casa e se gabam em fingir fazer o dever de aula, provavelmente colando em alguém mais esclarecido.

Isso é extremamente horrível, e vemos que só deu na desonestidade doutrinária de hoje. E o mais assustador é que os espíritas do Brasil vem com apelos à emoção e Assistencialismo, que é aquela caridade que não ajuda quase ninguém e a pessoa mais ajudada é justamente o próprio pretenso filantropo, um "médium" que não entende Kardec, finge ter estudado O Livro dos Médiuns e, mesmo assim, às pressas e sob traduções igrejeiras da FEB ou da IDE, e quer ser o centro dos espetáculos.

A gente fica até perguntando se Divaldo, por exemplo, é um animador de TV ou um médium espírita. Pelo jeito, é a primeira opção, com o sensacionalismo que sua figura mostra, um tanto diferente em aspectos particulares com Chico Xavier, mas na essência são os dois a mesma porcaria igrejista que só serve para colocar a Fé a serviço de coisas absurdas e permitir as aberrações que o Espiritismo sofre no Brasil, sempre à revelia da Razão e do Bom Senso.

Agora os espíritas choram quando falamos que a doutrina deles (que já segui mas abandonei há uns dez anos) está em crise, que falta prece e misericórdia para os "arautos do bem", que "estamos sendo injustos com a seara da fraternidade" e outros choramingos que não fazem nenhum sentido. Mas eles é que fizeram tais escolhas, preferindo o velho Catolicismo do que o legado kardeciano, agora precisam arcar com as consequências de suas más escolhas. Logo eles, partidários da Causa e Efeito, ignoram essas coisas!...

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

Madre Teresa de Calcutá e a caridade como mercadoria