Ryan Brito e o estrago da "escola Chico Xavier" na mediunidade

(Autor: Professor Caviar)

Recentemente, foi noticiada a divulgação de uma suposta mensagem espiritual atribuída a Ryan Brito, neto do humorista Chico Anysio, encontrado morto depois que teria se afogado numa praia do município de Quissamã, antigo distrito de Macaé, no Rio de Janeiro.

Filho do humorista e dublador Nizo Neto (este filho do casamento de Chico Anysio com a vedete Rose Rondelli) e da ex-mulher Márcia Brito, Ryan, que tinha 25 anos, estava envolvido em um movimento místico e estava sob os efeitos do chá Ayahuasca. Ele estava desaparecido antes do corpo ser encontrado.

Mística e religiosa, Márcia Brito - que, como o ex-marido Nizo, participou da Escolinha do Professor Raimundo e fazia a Flora Própolis, do bordão "Viva a Natureza" - , se declarava "espírita" e frequentava o "centro espírita" de Abadiânia, em Goiás (o mesmo do suposto médium curandeiro João de Deus, que quando doente não teve coragem de se tratar "por conta própria" e recorreu a um hospital), quando foi informada de um "médium" carioca que rezava terços nas sessões de "psicografia". A própria Márcia é rezadora de terços.

Márcia se certificou que este "médium" não era o Fernando Ben - responsável pelo "centro espírita" Cartas de Fátima, em Sepetiba, na Zona Oeste do Rio de Janeiro - e depois ela marcou consulta para pedir uma mensagem do espírito de Ryan. Ela havia visto no YouTube que o Fernando Ben era diferente do "médium" do qual lhe disseram haver no Rio.

E aí, dias depois, surgiu uma mensagem atribuída a Ryan Brito, aparentemente com informações "distintas" como a menção do CPF e do telefone da mãe do rapaz, e a citação de alguns amigos e parentes. O texto é reproduzido abaixo.

Como se vê, há uma série de erros nessa situação toda. O "centro" Cartas de Fátima, de orientação igrejista, recebe "telefonemas do lado de lá" (metáfora para o ato de não evocar espíritos e esperar que eles se manifestem, atitude considerada imprudente e perigosa por Allan Kardec, que preferia a evocação dos espíritos, o "telefonema do lado de cá").

Além disso, o "médium", Fernando Ben, é tratado como uma grife (ele deixa de ser intermediário e passa a ser o "centro"), contrariando a natureza discreta, quase anônima e sem idolatrias dos médiuns que atendiam Allan Kardec. E o próprio fato de Márcia recorrer a um único médium, sem experimentar outros sem vínculo nem relação com o primeiro, também descumpre um dos conselhos de Kardec de tomar cuidado com as supostas mediunidades.

O que também chama a atenção é que o próprio "espiritismo" tem fama de trazer más energias. A tragédia de Ryan Brito não seria um efeito de ocorrências tão comuns entre famílias "espíritas", que sempre encaram tragédias vindas do nada, sem motivo aparente? Não seria o azar que a confusa doutrina igrejista traz que influi em determinadas tragédias ou incidentes infelizes?

Com certeza, o que podemos afirmar é que tudo isso é resultante de uma péssima escola de mediunidade trazida por Francisco Cândido Xavier, ele mesmo um "médium" de práticas duvidosas. A "escola Chico Xavier" simplesmente estragou e desmoralizou a mediunidade no Brasil e não é a idolatria de Márcia Brito a Fernando Ben que irá resolver o problema. Até porque, se ela reclamou dos "incrédulos", ela se esqueceu que o próprio Allan Kardec teria sido um deles, se vivesse hoje.

==========

MENSAGEM ATRIBUÍDA A RYAN BRITO (COM ANOTAÇÕES ESCRITAS PELA MÃE)

Divulgado no Facebook

(Obs. Roberto é o Bakker, pai da Ramona, minha filha. O avô que se refere é seu melhor amigo, nosso Mestre, meu Pai Brito. Ele chamava este de avô e o outro vovô Chico)

"Minha mãe Márcia, de CPF: xxxxx..( disse o meu), e de telefone xxxx ( e disse o fone). Sou o seu filho vivo, perplexo pela nova realidade, mas feliz por constatar que muito do que já pensava é real. Mãe, continue sua luta sem medo. Pois a discussão tem feito muitas pessoas pensarem, mas também não se iluda, mãe amada, toda proibição estimula.
Peço que continue, aprimore e transceda nesta proposta de conscientização. Mas sempre lembrando que ao pedir para proibir, se aceito esse pedido, muitos vão usar a Ayahuasca, pelo próprio fato de ser proibido.
Sobre as calúnias, desconsidere. Você sabe como sou e tudo que fazia e pensava. Não ligue para os caluniadores, ligue para o que eu sinto por você. Dê meu abraço no meu pai, na Tatiana, na Sophia, na Isabela. Fala para a Ramona que o Roberto está bem.
A todos que oram por mim, eu agradeço, sinceramente. Mas estou muito bem.
Hoje não vim esclarecer detalhes, mas vim abraçar a minha mãe que tanto me ensinou e me ajudou, em tantas horas. Pai, sinta meu abraço de gratidão. E me perdoe se te fiz sofrer em algum momento.
Deixo minha gratidão e certeza que todos entenderão no tempo certo, que não precisamos de elementos externos para sentirmos nosso eu-maior. Mas sim, meditando, orando e transformando nossas escolhas.
Obrigado, e até logo! Rian Brito.
Obs. Comigo hoje está meu avô!"

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

Madre Teresa de Calcutá e a caridade como mercadoria