A possível demência de Chico Xavier

(Autor: Kardec McGuiver)

Francisco Cândido Xavier foi uma verdadeira fraude em forma humana. Como gostava de ler e de escrever, foi induzido a produzir material que enriqueceu s cofres da Federação "Espírita" Brasileira, de linha roustainguista e não kardeciana, inventando que a renda seria 100% para a caridade, que não trouxe nenhum , eu disse NENHUM, sinal de transformação social por causa da suposta renda doada.

Na verdade tudo fez parte de uma verdadeira campanha publicitária para canonizar em vida o médium Francisco Cândido Xavier, se aproveitando do carisma que ele atraia para si, fazendo com que uma multidão de incautos e incultos se ajoelhem diante dele pensando ser Chico o "salvador da humanidade" que tanto esperam.

Mas Chico Xavier, na verdade um beato católico que supostamente "falava com os mortos", ao ser excomungado de sua fé que ele nunca largou, foi "adotado" pelos pseudo-espíritas, na verdade dissidentes tão católicos quanto ele que enxergavam nele a galinha dos ovos de ouro a atrair mais ovelhinhas ingênuas para o rebanho.

Mas vários indícios, nenhum deles confirmados, trazem a suspeita de que Xavier era mais do que uma fraude: era um doente mental transformado em marionete e ventríloquo das lideranças do "Espiritismo" brasileiro. Sua personalidade de songa-monga, sua incapacidade de decidir (e portanto de liderar - o que contraria gravemente a sua mitologia) e as demonstrações de medo que mostrou na juventude no episódio do sexo  quando adulto em um avião, alimentam a veracidade da demência do famoso "médium" e "líder espírita".

Tema delicado

Segundo o que dizem, um exame médico feito na tentativa de entender a suposta paranormalidade do médium, enxergou no cérebro do mesmo traços típicos de demência mental, com características que lembram doenças psiquiátricas que possuem alucinações e "conversas" com o ar como sintomas. Trocando em miúdos, o exame diagnosticou Xavier como portador de séria demência mental.

Xavier era um joguete. Foi usado por todos. Tinha fala mole, hesitante e nada convincente. Se conseguiu convencer alguém, foi mais por pena do que pela lógica, que ele nunca tinha. Sua falsa candura, tida como qualidade pelos seus admiradores, pode na verdade ter sido sintoma de sua demência, já que sua personalidade sem firmeza favorecia esta hipótese.

A possível demência de Chico Xavier é um tema delicado. Seus admiradores são verdadeiros cães de guarda e se apenas a alegação de que Xavier não era perfeito já faz os chiquistas rosnarem de raiva defensiva, imagine se numerarmos qualquer defeito do médium e principalmente a loucura (um defeito considerado gravíssimo). Provavelmente os chiquistas vão querer nos mandar para o Umbral.

Ainda nada está confirmado sobre a demência de Chico Xavier. Mas as evidências que reforçam esta hipótese são fortes e passíveis de análise. O que é certo é que seja qual for o traço de sua personalidade ele nunca teve a mínima competência para liderar alguma coisa, pois além de hesitante, ele nunca entendeu a doutrina que fingiu professar, ensinando tudo errado e resultando na papalvada que vemos no Brasil até hoje.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

Madre Teresa de Calcutá e a caridade como mercadoria