Leitor reclama da "previsão" da Data-Limite

(Por Ernesto Caligari, via e-mail)

Fico indignado com essa tal profecia de Chico Xavier que diz que o país vai comandar o mundo e vai ser exemplo de solidariedade e fraternidade para o planeta.

Vi o documentário e uma série de asneiras foram ditas, sob a desculpa de serem previsões científicas, advertências proféticas, avisos messiânicos, blablablá.

Falam que o mundo velho, que é a Europa, Ásia e os EUA, vai acabar, o hemisfério norte ficará "inabitável", o que é um julgamento de mau gosto, digno do catastrofismo de seitas obscurantistas.

Eu não quero que o Brasil seja ou não o tal "coração do mundo". O que eu, e acredito que os demais brasileiros querem, é que o país tenha justiça social e acabe com esse quadro bagunçado que temos, à esquerda, à direita e no centro, com uma política desastrosa e uma mídia pouco confiável.

O Brasil nem precisa ser um país desenvolvido e pode até ser que o país seja ignorado pelo Primeiro Mundo. Mas se tiver um mínimo de justiça social, com melhor educação, melhores salários, melhor distribuição de renda, dignidade e qualidade de vida, tudo bem.

Esse sensacionalismo em torno de Chico Xavier me causa horror, pelo fato de que o dito médium entendeu mal a Doutrina Espírita e no entanto se impôs como o maior representante, para uns acima até do próprio Kardec, como se igrejismo fosse melhor do que lógica e coerência.

E se o que Chico Xavier fez foi de qualidade duvidosa, apesar de toda lorota de "pessoa mais pura", "sábio intuitivo" ou sei lá o que vão inventar, essa pretensão de ficar prevendo coisas com data certa é de uma irresponsabilidade gritante. 

E se nada acontecer depois de 2019 de acordo com os delírios do suposto médium, o que vão dizer? Que os "amiguinhos ainda endurecidos" não deixaram? Que a Terra ficou complicada para os espíritos benfeitores, e terá nova reunião com Jesus, Emmanuel, André Luiz e o que vier? Isso é uma grande tolice!!! Kardec reprovaria tudo, tudo isso!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

Madre Teresa de Calcutá e a caridade como mercadoria