Leitor pede lançamento de livro de Attila Paes Barreto

(Autor: Felipe Hermes, via e-mail)

É inconcebível que não seja lançado um livro investigativo do infelizmente esquecido jornalista Attila Paes Barreto. O livro O Enigma Chico Xavier Posto à Clara Luz do Dia, de 1944, precisa de um lançamento urgente, nem que seja para baixar na Internet.

Como é que não podemos investigar irregularidades sobre essas "psicografias". A gente lê as obras "espirituais" que levam o nome de autores ilustres, não vê nada do estilo de cada um deles e nós temos que aceitá-las como "autênticas" só por causa das tais "lições de amor"?

Enquanto bobagens como a tal "profecia" de Chico Xavier são lançadas, com livros inspirando outros livros, falando que o mundo vai ser destruído e só vai sobrar o Brasil, que irá mandar no mundo, e algumas outras nações, somos proibidos de ter em mãos trabalhos que realmente informem o que está por trás de belas aparências.

É como no caso do doutor Adolfo Bezerra de Menezes. Não há um fato objetivo sobre sua carreira política, não há um único relato realista sobre ele. Mas tem fantasia dele já falecido se materializando para salvar as pessoas, como se fosse um super-homem do além-túmulo, entre outras lorotas dignas de contos de fadas.

É esse o espiritismo que valoriza a Ciência e defende a busca do Conhecimento? Que Ciência os espíritas querem? A Ciência mistificada, feita só para sustentar falácias igrejistas? E que Conhecimento os espíritas querem? O da fé em tantas fantasias e outras coisas sem pé nem cabeça?

Queremos o livro de Attila Paes Barreto em mãos. Cadê uma Companhia das Letras para lançar essa raridade? Medo de causar polêmica? Medo de derrubar um ídolo religioso? Medo de fazer os espíritas, tão infantilizados, chorarem? Se quiserem chorar, que chorem feito crianças mimadas, porque a verdade tem que estar acima de tudo, até mesmo dos doces preconceitos da fé. Mentir em nome do amor é inaceitável! Que venha o livro de Attila, nem que seja por arquivos PDF!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

Madre Teresa de Calcutá e a caridade como mercadoria