Chico Xavier, o destruidor do Espiritismo


(Autor: Saddam Hayek)

O Espiritismo morreu junto com Allan Kardec e não teve a oportunidade de reencarnar. Morreu mesmo, se extinguiu. Não sobrou migalha para contar a história. Da doutrina só ficou o nome, usado para rotular esse carnaval irresponsável que acaba por atrair as mais malévolas influências ocultas, além de beneficiar lideranças que não passam de reles oportunistas.

E um desses reles oportunistas, um beato católico de nome Francisco Cândido Xavier, que de cândido não tinha nada, a não ser a fala de molenga, esquartejou o Espiritismo já assassinado pelos deturpadores franceses, principalmente Jean Baptiste Roustaing, tão estimado pelos "espíritas" brasileiros que tem vergonha de pronunciar seu nome.

Xavier, que morreu sem ter entendido uma virgula da doutrina que fingia ser seu maior mestre, fez um imenso estrago à doutrina e cometeu a atrocidade de travar a evolução espiritual de seus seguidores, transformados em um bando de ovelhas católicas que sonham com um lindo shopping center após a morte, além de reencarnações brilhantes como reis rainhas e celebridades.

Graças ao médium intruso, a doutrina virou uma verdadeira coletânea de asneiras e absurdos, temperadas com a mais infantil das pieguices e com a irresponsável fé cega que faz com que pontos importantes sejam mal compreendidos e substituídos por dogmas pra lá de infantis de tão risíveis.

Xavier foi bastante irresponsável em completar o serviço inciado pelos primeiros deturpadores tanto os da França com os do Brasil. Equivocadamente inverteram o papel de vilão e herói entre o grande Afonso Angeli Torteroli, bravo lutador pela honestidade e fidelidade doutrinária e o político de intenções dúbias Bezerra de Menezes, deturpador da pior espécie, cujas "biografias" cheias de surrealismo acabaram por canonizá-lo. Para tudo acabar nessa tola fantasia que entendemos hoje como "Espiritismo".

Xavier consagrou a forma deturpada e através de seus livros, psicografados ou não, aniquilaram de forma definitiva a doutrina, substituindo-a por um amontoado de lixo doutrinário que para nada tem servido para a evolução espiritual dos brasileiros. Sua serventia é exclusivamente o de alimentar ilusões e estimular a má compreensão doutrinária.

É triste saber que uma doutrina que nasceu progressista e com a missão de alavancar a evolução humanitária tem se transformado em uma gororoba de tolices graças a um beato católico que não entendeu nada e de seus seguidores e sucessores tao alienados quento ele. O trabalho de Allan Kardec foi literalmente jogado no lixo e temos que nos virar para que possamos por em prática a evolução espiritual. Pois se contamos com esses farsantes que falam hoje em nome da doutrina, nossas esperanças vão direto para o ralo a caminho do mais impuro esgoto. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

Madre Teresa de Calcutá e a caridade como mercadoria