Quem estuda Kardec, derruba Chico Xavier

(Autor: Kardec McGuiver)

Meu caro amigo, você garante que estudou corretamente as obras codificadas por Allan Kardec, resultado de intensa pesquisa e verificação? Se estudou corretamente, você certamente despreza a maior parte das lideranças que falam em nome do Espiritismo no Brasil. Não despreza? Ih, então você não estudou corretamente. Faltou uma dedicação melhor e uma análise profunda do que está escrito na codificação.

O Espiritismo brasileiro é uma farsa. Fundado por dissidentes católicos, o que já  faz acender o sinal amarelo da atenção, o que a maioria dos brasileiros conhece domo "Doutrina Espírita" é na verdade uma colcha de retalhos construída com restos de outras religiões, sobretudo a Católica, de onde veio boa parte das lideranças e a maioria dos seguidores.

Os defensores do ecumenismo (ou sincretismo, ou ainda melhor: gororobização)  do Espiritismo brasileiro, alegam que não há mal algum em enxertar ideias do Catolicismo na doutrina. Não? Experimenta derramar um pote inteiro de açúcar em uma panela de feijoada e me diga se foi bom. É a mesma coisa.

Por isso que o Espiritismo brasileiro acabou por repetir os mesmos erros de fé cega das outras religiões, estimulando o surgimento de contradições e apelando para mentiras para tentar explicar certos absurdos. Graças a muitas lideranças "responsáveis", o Espiritismo brasileiro virou uma bagunça. Não houve um estudo sério que pudesse invalidar os seus absurdos que crescem sem parar, tornando erros quase impossíveis de serem corrigidos.

E um dos maiores responsáveis, mesmo não sendo o único, por toda essa desgraça foi o médium Chico Xavier. Um dos maiores vendedores de livros no Brasil, e portanto a galinha dos ovos de ouro da FEB, serviu de base de construção para um mito divinal tipicamente igrejista que como um câncer, se espalhou pela versão brasileira da doutrina a travar as mentes de seus seguidores, destruindo de vez o Espiritismo brasileiro, transformado em uma espécie de Catolicismo com espíritos.

Um estudo sério e dedicado da obra de Allan Kardec derrubaria facilmente Chico Xavier. Enquanto Kardec trabalhava com a lógica e o bom senso, verificando informações e analisando dados, descartando os que fossem mais supérfluos ou errados, Xavier, beato religioso aceitava tudo e espalhava erros e incoerências, se aproveitando da fé cega de seus seguidores ara angariar prestígio.

As obras de ambos entram em contradições frequentes, quase que num UFC ideológico em que Kardec, apesar de mais forte, por estar do lado da lógica, sempre é derrotado pelo frágil Xavier que nunca entendeu nada da doutrina, mas possui um prestigio altamente sedutor e comovente, atraindo um gigantesco exército de ingênuos para ser seus defensores.

Como seria bom se o Espiritismo não tivesse Chico Xavier. Mesmo as outras lideranças católica que se intrometeram na doutrina, seriam facilmente derribadas, por não possuírem a violenta capacidade de sedução do médium, que corresponde a um esterótipo apenas teórico que ilude as massas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

Madre Teresa de Calcutá e a caridade como mercadoria