A Teologia do Sofrimento

(Autor: Kardec McGuiver)

A ideologia denominada Teologia do Sofrimento, defendida pelo Catolicismo, nada tem a ver com a Doutrina Espírita. Se há menção a isso na doutrina, certamente se trata de um enxerto católico inserido nela, criando uma contradição que dificulta a compreensão doutrinária.

A Teologia do Sofrimento resultou na má interpretação do sofrimento de Jesus. Católicos defendem a tese sem sentido de que Jesus teria se oferecido para sofrer porque ele sofrendo, dispensaria a humanidade de sofrer. Para completar o nonsense, os católicos continuam a valorizar quem sofre, prometendo que este sofrimento seria um caminho para uma prosperidade futura. Prosperidade que nunca chega de fato. O que prova que religiões são ótimas em promessas e péssimas em resoluções.

Na verdade, Jesus morreu porque era ativista e seu ativismo desagradava os tiranos da época. Morreu por motivos políticos e seu sofrimento nada tem a ver com o da humanidade, já que o bom senso afirma e garante que cada pessoa é responsável pelos seus atos. Uma pessoa não pode se oferecer para sofrer no lugar de outras.

É uma tolice sem sentido que e aceita apenas por fanáticos e que tem servido de base para muitas crenças, já que para as suas lideranças, é bom que os outros sofram para que os líderes possam estar bem.

O sadomasoquismo é estimulado por todas as religiões que existem como forma das pessoas tentarem resolver seus problemas mundanos da maneira mais fácil possível, se livrando os esforço de que deveria ser útil para o desenvolvimento intelectual.

E dentre as lideranças religiosas, quem mais queria que as pessoas sofressem é o "bondoso" Chico Xavier, sinônimo de perfeição espiritual para seus incautos admiradores. Xavier não cansava de mandar mensagens frouxas de auto-ajuda pedindo para as pessoas aceitassem com alegria e carinho o sofrimento, chegando a ponto de lançar a tese de que um moribundo seria muito mais feliz que um profissional bem sucedido. Um contrassenso.

Estranho uma doutrina que finge ser científica cometer tantos contrassensos e tantas contradições. Tudo para que a humanidade, emburrecida pela péssima educação que recebem, se submeta as essas lideranças, obedecendo-as cegamente, enquanto líderes religiosos se beneficiam da credulidade alheia para aumentar seus lucros e seu poder quase político.

Nosso conselho: não sofra. Quando o sofrimento bater a sua porta, faça de tudo para sair dele. Não é o sofrimento que dignifica, mas a tentativa de sair dele. Muitas das grandes invenções surgiram da necessidade de resolver problemas. Recusando o sofrimento, você adquirirá qualidades que serão muito úteis no futuro e ajudarão a ter uma melhor compreensão da realidade que as lideranças religiosas insistem em esconder.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

Madre Teresa de Calcutá e a caridade como mercadoria