Chiquistas já começam a ficar incomodados

(Autor: Kardec McGuiver)

Graças a internet, pessoas mais sensatas encontraram oportunidade de denunciar os erros que o senso comum se empenhava em espalhar. Como a mídia oficial sempre fora muito influentes, tentando passar um falso senso de verdade través dos meios de comunicação, pessoas com visão mais realista não tinham oportunidade de se manifestar, deixando com que vários conceitos equivocados se arraigassem nas mentes de toda a sociedade.

Chico Xavier era um desses equívocos. Difusor máximo de uma doutrina deturpada, o médium mais famoso do Brasil sempre representou uma coletânea de estereótipos positivos para a sociedade brasileira. Sua influência era questionada desde que ele apareceu, mas os questionamentos perderam força por falta de uma mídia que pudesse difundi-las. Inicialmente contra, a mídia oficial (Rádio, TV, jornais e revistas) preferiu com o tempo estar do lado do médium, expandindo toda a falsa mitologia construída a redor dele.

Com o surgimento da internet, pessoas que conseguiam enxergar o médium como uma farsa, começaram a ter um oportunidade de examiná-lo e denuncia-lo, com base em fatos. Debates e mais debates surgem nos fóruns espíritas na tentativa de retirar completamente o médium do posto de "maior liderança espírita do Brasil".

Claro que as pessoas que foram "educadas" pela mídia oficial e por centros "espíritas", que não passam de igrejas católicas sem pompa, ficaram irritadas com as observações realistas sobre o médium. Acostumadas com a religiosidade que lhes trava o raciocínio, não se importavam com as contradições cometidas pelo médium e pelos que o cercavam, aceitando tranquilamente como "líder espírita" alguém que vivia contrariando a doutrina o tempo todo.

O estereótipo de bondade construído em torno do médium reforçou muito a confiança cega de seus seguidores. Se não bastasse o mito de que toda liderança religiosa é bondosa só por isso, Xavier conseguiu corresponder, mesmo falsamente a esse estereótipo, angariando admiradores que, após as críticas, se converteram em ferozes cães de guarda para defender o médium.

Desesperados por ver seu totem máximo ruir, os admiradores de Xavier suam para arrumar argumentos, mesmo frouxos, para tentar preservá-lo no pedestal onde ele - ainda - se encontra. mesmo sem lógica e muitas vezes sem pé nem cabeça, esses argumentos são facilmente desmontados nos fóruns, aumentando a irritabilidade dos que tratam o médium como sua maior zona de conforto.

Muitos até questionam : "porque só agora após a morte, Xavier tem sido criticado? O coitado não está aí para se defender". E nem poderia se defender, pois Xavier não poderia contestar as evidências. Segundo porque as críticas têm sido feitas desde que ele apareceu nas portas da FEB de Uberaba. Mas não tinham um meio como a internet para se difundir.

Os que se irritam com as críticas deveriam usar o bom senso e aceitá-las. Ninguém tem a obrigação de manter o médium de maneira postiça na lista dos "grandes benfeitores da humanidade". Até porque ele nunca foi de fato um grande benfeitor.

Chico Xavier é um mito inútil para o desenvolvimento da sociedade e seu esquecimento seria a melhor decisão a ser feita. Os chiquistas chorosos que se conformem, pois os supostos benefícios feitos pelo "maior filantropo do Brasil" foram ineficazes ara a melhoria social da sociedade brasileira, o que já prova que o médium merece ser desqualificado,  não somente por ter sido um mau espírita mas também um filantropo incompetente. Ou aqui alguém ainda acha que dar sopinha a meia-duzia de famintos mudará o mundo?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

Madre Teresa de Calcutá e a caridade como mercadoria