Evolução espiritual não deve ser apenas moral

(Autor: Profeta Gandalf)

Uma coisa que eu estava desconfiado há muito tempo é que o movimento espírita brasileiro estava cada vez mais priorizando o lado moral, a bondade, a esperança e até mesmo a fé (cega), desprezando gradativamente o lado pensativo que deveria ser o verdadeiro destaque da doutrina.

Eu não digo que a moral não deve ser evoluída. pelo contrário: a moral é essencial. Mas que tal evoluirmos moral e intelecto juntos. A experiência mostra que juntos estes aspectos se tornam infalíveis. Afinal, intelecto sem moral resulta no egoísmo, e moral sem intelecto resulta na credulidade.

Espíritos crédulos adoram seguidores crédulos

O Espiritismo brasileiro vive numa verdadeira onda de deturpação. Ensina-se tudo errado, por conta da credulidade de dirigentes de centro, da transformação de mediuns em líderes e da falta de verificação da autenticidade das mensagens recebidas e da identidade e intenções dos espíritos comunicantes.

E de acordo com a lei de atração, a presença de seguidores crédulos, atrai espíritos gozadores (algo não muito raro, vale lembrar) ou simplesmente espíritos bons que sejam crédulos.

Muita gente acaba criando uma credulidade achando que é o suficiente o desenvolvimento moral. Como se já estivesse embutido nele o desenvolvimento intelectual. Aí, muita ideia absurda é difundida como verdade, só porque foi dita por algum médium ou espírito que pareça bondoso.

Isso é perigoso, pois espíritos que possam ter desenvolvido a moral, mas não o intelecto, mais tolos como crianças pequenas, podem defender suas crenças pessoais como se fossem teses científicas e virar lei dentro do movimento espírita. É isso que está acontecendo.

Médiuns não são líderes espirituais. E nem podem ser por causa disso

O grande problema no Brasil é que a FEB criou seus "líderes", pegando sobretudo alguns médiuns carismáticos que acabavam se transformando em líderes, guias e gurus, transformando qualquer coisa dita por eles em lei absoluta e inquestionável.

Os argumentos em defesa desses médiuns ou espíritos é devido a aparente bondade que ostentam. Como ser bondoso já garantisse o poder intelectual. Mas como eu disse, muitos erros podem ser difundidos por eles, não por maldade, mas por ingenuidade ou credulidade.

Aliada a intelectualidade, a moralidade torna-se ainda melhor

Muita gente ainda não percebe, mas a bondade pode ser ainda mais eficiente se aliada ao intelecto. Raciocinando melhor, podemos conhecer melhor a condição do outro e da sociedade que nos rodeia, além de planejarmos melhor qualquer ação que possa gerar beneficio a todos.

O que mostra que desenvolvendo as duas coisas juntas é que nos preparamos para mundos melhores, sempre aumentando a nossa capacidade espiritual, para que nada saia errado e que nos livremos de vez tanto do egoísmo como da ingenuidade.

O que não dá é para monopolizar o lado moral. Isso já tem causado grande estrago na difusão e compreensão da doutrina espírita.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

Madre Teresa de Calcutá e a caridade como mercadoria