Superioridade de Chico Xavier é uma farsa

(Autor: Kardec McGuiver)

Cada religião tem seu conjunto de dogmas. Dogmas são lendas e preceitos, não raramente em desacordo com a lógica e com a realidade que são impostas a serem aceitas como condutoras da vida de quem concorda com eles. E o "Espiritismo" brasileiro, transformado em uma seita igrejista, lançou mão de criar os seus dogmas, já que recusou o estudo sugerido por Allan Kardec em suas obras.

Um dos dogmas é a superioridade de suas lideranças, transformadas em divindades vivas. Ignorando que todos os espíritos encarnados e desencarnados que habitam a esfera terrestre pertencem a mesma natureza espiritual, os fiéis da Igreja Espírita acreditam que espíritos de suposta evolução máxima reencarnam na Terra como missionários, escolhidos por Deus (??!!) com a "missão" de "ajudar a humanidade". É nesta categoria que inclui muitas personalidades do "Movimento Espírita".

Mas vamos ater a Chico Xavier, que é o foco deste site, se lembando que outras lideranças e mitos se encontram na mesma situação do médium, completamente divinizados, o que é incompatível com a proposta original da doutrina, que não admite a personalização de ideias ou o culto à personalidades.

Um cidadão de poucas qualidades e muitos defeitos, mas divinizado

De fato, Chico Xavier nunca passou de um cidadão de formação católica que, excomungado de sua crença por ser portador de alguma paranormalidade, foi recebido pelos "espíritas" brasileiros que, enxergando algum carisma no médium, decidiram transformá-lo em divindade, ara servir de isca para "aumentar o rebanho" na doutrina. Sim, o "Espiritismo" brasileiro também tem a obsessão em aumentar a sua quantidade de fiéis, como comprova o dogma defendido por eles de que "no futuro todos serão 'espíritas'". Se for "espírita" de Chico Xavier, será um mau negócio.

Os dirigentes da FEB, como falei, transformaram Xavier em uma divindade. Inicialmente tratado como "atração de circo", seu mito foi aos poucos moldado até hoje ser considerado "o maior filantropo do Brasil", mesmo sem ter causado de fato uma transformação significativa na sociedade brasileira. Ou seja, é apenas uma mitologia para atrair mais pessoas para a "doutrina".

Se aproveitando bastante do baixo nível intelectual do povo brasileiro, os dirigentes da FEB lançaram muitas lendas sobre Chico Xavier, com pseudo-biografias que lhe embutiam qualidades de todos os tipos. Até mesmo superpoderes foram embutidos para que o médium parecesse muito maior do que era. De fala mole e opiniões oscilantes, 

Xavier nunca teve o perfil de líder transformador. Foi no máximo uma pessoa simpática que atraiu muitos admiradores. Mas infelizmente não tinha traços de sua suposta superioridade. Tinha inúmeros defeitos, muito mais do que qualidades. 

Participou de fraudes, e usou nomes de famosos mortos em suas falsas psicografias de conteúdo igrejista. Apoiou sem hesitar a Ditadura Militar. Praticava caridade apenas paliativa, e mesmo assim era partidário da sádica Teologia do Sofrimento. Obsediou filhos mortos de mães desesperadas ao invés de consolá-las fazendo-as aceitar o falecimento de seus filhos. E era submisso à espíritos e lideranças que o manobravam da maneira que queriam. Além de ter escrito livros cheios de erros e de absurdos, com inúmeras teses sem pé nem cabeça.

Como uma pessoa com tantos defeitos pode ser considerado de "máxima evolução" e ter encerrado a capacidade de reencarnar*? Isso é impossível e quem acredita na superioridade de Xavier é ingênuo e não raramente irracional. 

Como falamos em outras oportunidades, Francisco Cândido Xavier foi um dos espíritos mais atrasados que estiveram na Terra. Não tinha a maldade estereotipada, mas cometeu das suas, principalmente sob a base da Teologia do Sofrimento, uma teoria sado-masoquista inventada pelos católicos medievais e difundida por Teresa De Lisieux.

Seria mito bom que descartarmos Chico Xavier. Não precisamos dele e nem de suas obras ou de seu "exemplo". Deveríamos nós mesmos criar nosso próprio exemplo de evolução de caráter, baseando em nossa própria vontade e melhorar o mundo, sem idolatrias de quaisquer tipos.

-----------------------------------------------
* NOTA: Foi isso mesmo que você leu: Xavier não precisava nem mesmo reencarnar em planetas superiores. Enquanto muitos espíritos, ao desenvolverem suas capacidades intelectuais são transferidos para planetas mais evoluídos, Xavier, segundo seus admiradores, não precisou mais reencarnar, o que e de uma imensa malandragem, se observarmos o que Xavier fez pela doutrina e pela humanidade.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

Madre Teresa de Calcutá e a caridade como mercadoria