Em termos de moralismo, Carequinha saiu-se melhor que Chico Xavier

A gente grande teima em querer se comportar como um bom menino lendo frases de Francisco Cândido Xavier. Sentem-se tentados em ouvir as estorinhas que o sinistro homem que falava com um padre medieval tem a contar e se perdem no caminho com infortúnios e outros desastres.

Pois não há a menor necessidade em se preocupar com aquelas enjoadas frases de conformismo no sofrimento que Chico Xavier publicou e que tanto viciam as almas deslumbradas. Não há mesmo.

Há um mundo e muitas vidas fora de Chico Xavier. Se as pessoas se desapegassem de Chico Xavier, veriam o mundo sem o véu chiquista, sem a névoa "espiritualista" que cobre olhos, corações e mentes.

E tem de tudo. Até mesmo em termos de recados moralistas, um exemplo dá um banho nas "palavras de amor" de Chico Xavier. Eles foram difundidos na voz de George Savalla Gomes, o palhaço Carequinha, embora sejam de autoria do genial músico brasileiro Altamiro Carrilho, compositor, principal músico e arranjador dos discos musicais gravados pelo astro circense, que fez muito sucesso também na televisão. A música, intitulada "O Bom Menino", foi composta em parceria com Irany de Oliveira. e foi lançada em 1960.

A letra é um recado para as crianças se comportarem como boazinhas. A letra tem um ranço conservador, em vários aspectos, mas mesmo assim é bem mais simpática e alegre do que as "máximas" de Chico Xavier que seduzem muita gente grande.

Um parêntesis é que o palhaço Carequinha, diante do trágico episódio do incêndio do Gran Circo Norte-Americano, em Niterói, no dia 17 de dezembro de 1961, decidiu assistir os familiares e, além de acompanhar o drama, ajudou a financiar a construção de um cemitério no bairro de São Miguel, em São Gonçalo, já que as vítimas eram muitas para serem sepultadas apenas no cemitério de Maruí, na região do bairro niteroiense do Barreto. São as mesmas vítimas que Chico Xavier preferiu acusar de "romanos sanguinários", usando o nome de Humberto de Campos, muito mal disfarçado pelo codinome "Irmão X".

Talvez fosse melhor se a gente miúda ficasse na letra da música "O Bom Menino", que já oferece conselhos suficientes para quem quer ser obediente na vida. Tem como ponto positivo a recomendação de "não bater na irmãzinha", um conselho que busca prevenir o surgimento de futuros machistas agressores.

A letra é um recado moralista, mas muito mais honesto e sem o nível tendencioso e malicioso das "máximas" de Chico Xavier. Portanto, para que querer ser conservador com Chico Xavier se é possível, com menos tempo, menos leitura e poucos minutos de audição, ser conservador com "O Bom Menino"?

O Bom Menino

Composição de Altamiro Carrilho e Irany de Oliveira
Intérprete: Carequinha (George Savalla Gomes)
Gravação Original: 1960

O bom menino não faz pipi na cama
O bom menino não faz malcriação
O bom menino vai sempre à escola
E na escola aprende sempre a lição

O bom menino respeita os mais velhos
O bom menino não bate na irmãzinha
Papai do céu protege o bom menino
Que obedece sempre, sempre a mamãezinha

Por isso eu peço a todas as crianças
Muita atenção para o conselho que eu vou dar

(falado)
Olha aqui.
Carequinha não é amigo de criança que passa de noite da sua cama pra cama da mamãe
E também não é amigo de criança que rói unha, e chupa chupeta.
Tá certo ou não tá?
Táaaaaaa

Eu obedeço sempre a mamãezinha
Então aceite os parabéns do Carequinha.

O bom menino...

(falado)
Olha aqui.
Carequinha só gosta de criança que respeita mamãe, papai, titia e vovó
E seja amigo dos seus amiguinhos
E também que coma na hora certa, e durma na hora que a mamãe mandar.
Tá certo ou não tá?
Táaaaaaa

Eu obedeço sempre a mamãezinha
Então aceite os parabéns do Carequinha.
-Viva o bom menino
Vivaaa

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

Madre Teresa de Calcutá e a caridade como mercadoria