Pular para o conteúdo principal

Coisas que o "sábio" Divaldo Franco não sabe e deveria saber


(Autor: Kardec McGuiver)


O "grande sábio" e "espírito de evolução máxima" Divaldo Franco deveria saber sobre algumas coisinhas. E que Chico Xavier morreu sem ter o mínimo de conhecimento.

Injustiças não se resolvem com moralismo, orações e caridade paliativa. Se resolvem com a reeducação das elites e da condenação explícita da ganância.

É preciso chamar os gananciosos de gananciosos ao invés de agradecer a eles pelos prêmios (subornos) recebidos. É preciso condenar a ganância na frende dos gananciosos.

Os mais ricos, parasitas humanitários, sempre enriqueceram às custas de muita trapaça e de muito sofrimento alheio. Os ricos de hoje nunca trabalharam, recebendo de seus nababescos ancestrais a imensa riqueza muito bem servida em bandejas de ouro.

Os mais ricos não são a reencarnação dos bons. São a continuação daqueles que lucraram após prejudicar uma grande maioria de pessoas, várias tomadas como simples servos (escravos). 

E que os que trabalham em prol dos mais ricos não deseja a moralidade e muito menos a bondade e a justiça. Querem apenas que os ricos compartilhem com eles (juízes, mídia, pequenos empresários) o que pude sobrar desta riqueza herdada.

Mandantes e cúmplices em tensa luta para preservar a ganância. E fazem isso em nome da moralidade, da justiça e do suposto bem estar social. Como se toda a sociedade pudesse ser próspera com bens, benefícios e direitos mal distribuídos.

Para os "Missionários da Ordem do Bem",  é "Um para você, mil para mim".

A ganância sendo legitimada e defendida pela nobre moralidade burguesa. A moralidade que diz ue uma minoria tem o sacro direito de ser e de ter muito mais do que os outros.

Esta ganância abençoada por Chico Xavier e Divaldo Franco, falsos arautos da humanidade e verdadeiros centuriões das elites nababescas.

Chico e Divaldo nunca perderam a oportunidade de dizer de que lado estavam. O povo iludido os acolhe, sem ver neles as raposas que desejam invadir o galinheiro. Pois no moralista mundo defendido pelos dois solenes solertes, galinhas são proibidas de governar o galinheiro.

Chico e Divaldo são as vozes sacras das elites gananciosas. Defensores ardorosos dos Tiranos Nababescos a arruinar um país inteiro em prol da ganância e do sadismo.

Falam para as elites em congressos caríssimos não porque as elites "precisam ouvir" as "boas novas". Mas a verdadeira "boa nova" é que a caridade pseudo-cristã nunca deve prejudicar a ganância capitalista, que deve ser a todo custo respeitada e preservada.

Para isso, inventaram que gananciosos são a reencarnação dos bons para que a rapina burguesa pudesse ser legitimada. E abençoada por estes dois "brilhantes missionários" do Deus "cristão", sempre "bom" e "justo".

O Deus de Chico e Divaldo tem a sua justiça, que não é nada justa. Puna-se os pobres e proteja os ricos. É desta forma que adoutrina pseudo-cristã deve funcionar.

Com isso Chico e Divaldo, raposas adoradas pelo galinheiro, seguem com a sua verborragia a iludir gigantescas massas, Quem mandou dar o nome de "caridade" à ganância nababesca dos grandes senhores neofeudais, filhos legítimos dos cruéis escravocratas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Silêncio da imprensa em torno do caso Divaldo Franco-João Dória Jr. é grave

(Autor: Professor Caviar)
De repente, até a imprensa de esquerda desaprendeu a fazer jornalismo. O prefeito de São Paulo, João Dória Jr., enquanto divulgava a intragável "farinata", composto alimentar de procedência e valor nutricional duvidosos, exibiu o tempo todo a camiseta do evento Você e a Paz, comandado pelo "médium" Divaldo Franco. O silêncio total da imprensa quanto a este aspecto tem muito o que dizer, e não são coisas boas.
Em primeiro lugar, João Dória Jr. não exibiu a camiseta do Você e a Paz porque foi a única camiseta branca que encontrou ele que costuma usar camisas de colarinho e paletó. Também não foi uma iniciativa comparável à de um moleque usando camiseta de banda. Houve um propósito para João Dória Jr. aparecer vestindo a camiseta do Você e a Paz, na qual havia o crédito do nome de Divaldo Franco.
Nenhum jornalista, por mais investigativo que fosse, chegou sequer a perguntar: "ora, se a 'farinata' era apoiada pela Arquidiocese de…

Por defender a ditadura militar, Chico Xavier devia perder homenagens em logradouros

(Autor: Professor Caviar)

Pode parecer, para muitos, cruel e injusto, mas a verdade é que Francisco Cândido Xavier deveria perder as homenagens dadas a logradouros por todo o país.
Na famosa entrevista ao programa Pinga Fogo, em julho de 1971, Chico Xavier exaltou a ditadura militar, com muita convicção, e disse para orarmos para as Forças Armadas, porque os militares estavam construindo o "reino de amor" do Brasil futuro.
Demonstrando um raivoso direitismo, Chico Xavier simplesmente disparou comentários contra manifestantes sem-terra e operários, com um reacionarismo descomunal e que muitos não conseguem imaginar, apegados à "dócil imagem" atribuída ao anti-médium mineiro. Quem duvida, é só ver o vídeo no YouTube. E é o próprio Chico Xavier quem diz, para tristeza de seus seguidores.
Ele defendeu a ditadura militar num contexto em que ela se mostrou bem mais repressiva. Era a época do DOI-CODI, principal órgão de repressão, que aprisionava, torturava e matava pri…

Um grave equívoco numa frase de Chico Xavier

(Autor: Professor Caviar)
Pretenso sábio, o "médium" Francisco Cândido Xavier é uma das figuras mais blindadas do "espiritismo" brasileiro a ponto de até seus críticos terem medo de questioná-lo de maneira mais enérgica e aprofundada.
Ele foi dado a dizer frases de efeito a partir dos anos 1970, quando seu mito de pretenso filantropo ganhou uma abordagem menos confusa que a de seu antigo tutor institucional, o ex-presidente da FEB, Antônio Wantuil de Freitas. Nessa nova abordagem, feita sob o respaldo da Rede Globo, Chico Xavier era trabalhado como ídolo religioso nos moldes que o jornalista católico inglês Malcolm Muggeridge havia feito no documentário Algo Bonito para Deus (Something Beautiful for God), em relação a Madre Teresa de Calcutá.
Para um público simplório que é o brasileiro, que anda com mania de pretensa "sabedoria de bolso", colecionando frases de diversas personalidades, umas admiráveis e outras nem tanto, sem que tivesse um hábito de lei…