Influnciados por estereótipos, ateus brasileiros respeitam e admiram Chico Xavier

(Autor: Kardec McGuiver)

Chico Xavier é um totem poderosíssimo e como tal é sólido feito chumbo. Por mais erros que se encontram cometidos por ele, sempre se arruma um meio de manter o mito de pé, graças aos estereótipos de bondade associada ao médium. A falta de alguém com visibilidade para destruir o mito faz com que Xavier cresça feito erva daninha a destruir tudo que encontra pela frente. E com aplausos de pé de multidões de pessoas, iludidas com o falso carisma do charlatão que parecia bonzinho.

A moderação de uma comunidade de ateus resolveu fazer piada com Chico Xavier usando o meme que ilustra esta postagem. Várias pessoas saíram a defender o médium, sempre se baseando no mito de filantropia frequentemente associado ao médium. É um mito que não cansamos de provar que é falso, pois se fosse verdadeiro, Xavier teria mudado a vida de seus seguidores de forma radical, o que nunca se observou na prática.

Curioso que no exterior, ateus se dispõem a derrubar totens religiosos, seja lá quais forem. Aqui, dependendo do prestígio ou da mitologia construída, certos líderes religiosos são poupados, protegidos de qualquer tipo de crítica.

O que esquecem os ateus brasileiros é que há muita coisa por trás do "Espiritismo" brasileiro, praticado com irresponsabilidade e consagrando vários charlatães que transformam seu próprio prestígio em escudo eficaz, que os protege definitivamente da mais sensata das críticas, mesmo vindo com provas verdadeiras contra estes charlatães.

Brasileiros, independente de ter ou não suas crenças, são acostumados a acreditar, a ter fé. Se não tem fé em Deus ou nas religiões, tem fé na mídia, nos amigos ou em personalidades ou instituições consagradas. Basta alguém confiável dizer alguma coisa que ela é automaticamente aceita por algum brasileiro, mesmo ateu.

Isso acontece porque brasileiros não querem raciocinar, analisar e odeiam lógica e desprezam intelectuais. Aceitam tudo que vem de fontes consideradas confiáveis e muitas lendas, boatos e mitos se espalham criando uma espécie de "realidade" paralela que faz com que os brasileiros passem a acreditar naquilo que não e verdadeiro, consagrando como "verdade absoluta".

É uma pena que um farsante como Chico Xavier, que nunca deixou de seguir o Catolicismo, com muitos pontos contrários ao Espiritismo que o médium fingia seguir, segue intocável com inúmeros admiradores a defendê-lo como fiéis cães de guarda, crentes que a adoração ao médium iria "mudar o mundo para melhor".

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

Madre Teresa de Calcutá e a caridade como mercadoria