Data Limite tem única função de canonizar Chico Xavier

(Autor: Kardec McGuiver)

Como é que um mero sonho, com base em convicções puramente religiosas, de um beato católico, foi tomado como uma "tese científica" a ponto de render muitos documentários gastos com dinheiro que deveria sustentar as vidas de pessoas mais carentes? É o que acontece com a chamada "Data Limite", tese absurda e cheia de erros que resultou de um mero sonho, mas largamente defendida e difundida pelos que acreditam ver nela um aviso para a humanidade.

É estranho um empenho hercúleo em sustentar uma tese absurda, cheia de erros, resultantes de uma liderança religiosa que nada sabia sobre ciência, que nunca estudou mediunidade - aponto de atrair espíritos de índole duvidosa e intelecto equivocado, e que pode ser facilmente derrubada com o minimo de análise lógica.

Para começar a tal tese se baseia numa reunião liderada supostamente por Jesus, um personagem bíblico ainda sem existência comprovada. Mesmo que Kardec tenha garantido a existência de Jesus, quanto a isso, ainda carecemos de provas. Até segunda ordem, é algo a não ser levado com muita seriedade a nível de ciência.

Sem detalhar a suposta tese, é notável que ela tem a ver com a crença religiosa do beato que sonhou. Mas porque mesmo sendo um sonho puramente religioso, muitos incautos ainda insistem em ver nele uma ciência, como quem consegue ver cabelo em casca de ovo? A resposta não está no sonho e muito menos na tese em si, mas em quem sonhou.

Na verdade, a intenção é usar o sonho para "canonizar" Chico Xavier. É nítido o fato de que os defensores da absurda tese estão interessados em ver o beato como "o maior cientista da face da Terra", ou no mínimo, o mensageiro dos maiores cientistas.

No "Espiritismo" brasileiro, que herdou muitos enxertos católicos, em boa parte colocados pelo próprio Xavier, se canoniza de forma bem diferente que na Igreja Católica. A associação com a ciência é uma destas formas. Mas não pensem que a ciência permite análise profunda dos dogmas. No "Espiritismo" brasileiro, a ciência é utilizada apenas como uma espécie de cartório a autenticar os mais absurdos dogmas. Até porque se usar de fato a ciência, os dogmas são facilmente derrubados.

Por isso que houve a necessidade de transformar um mero sonho banal na suposta profecia conhecida como "Data Limite". Com a necessidade desesperada de transformar Chico Xavier um colecionador de qualidades, para que pudesse ser canonizado como "espírito de máxima evolução", era interessante colocar o atributo de cientista, como se Xavier, na verdade um ignorante, pudesse ser visto como "homem mais sábio na Terra", a enganar os que acreditam ingenuamente na sua alegada superioridade espiritual.

De fato, tudo não passa de uma farsa a agradar fanáticos religiosos a alçar seu ídolo a uma condição máxima que não condiz com a realidade. O "Espiritismo" não raramente costuma extrapolar sua capacidade de enganar as almas mais ingênuas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

Madre Teresa de Calcutá e a caridade como mercadoria