Pular para o conteúdo principal

Não dá para a Ciência aceitar Data Limite, na verdade um dogma religioso

(Autor: Kardec McGuiver)

Quem lê este blog conhece Data Limite, um sonho banal de conteúdo reigioso que foi transformado em "profecia". Claro que cientistas sérios e responsáveis não engoliram esta farsa. Mas os pseudo-cientistas e outros que vivem brincando com ciência não somente aceitaram numa boa, como gastam muito tempo e dinheiro com uma avalanche de documentários e entrevistas para tentar legitimar uma bobagem que nasceu no fundo de uma lenda religiosa.

Para entendermos esta postagem, esqueçamos por um momento das previsões relatadas na suposta "profecia". Já falamos nelas e falaremos ainda mais em outras oportunidades. Cabe aqui dar o foco no modo de como as "previsões" foram reveladas. E é risível e humilhante ver cientistas sérios aceitando e aplaudindo essa ilusão onírica de conteúdo fortemente igrejeiro. Preparem-se para dar risada: 

Em 1969 (no calendário ocidental terrestre), preocupado com a ida do homem a lua, achando que iria originar uma guerra interplanetária, Jesus (???!!!), decide organizar uma reunião com as lideranças do universo (quais?) e mais Chico Xavier (o único encarnado na reunião) e seu "mentor" Emmanuel (na verdade seu obsessor), para estipular uma moratória de 50 anos. Essa moratória estipulava - aí vem mais risadas - que se a humanidade não se comportasse direitinho durante o citado período, Papai do Céu iria mandar cataclismos para destruir certas áreas da Terra. A saber, as áreas cujas populações não seguiam alguma religião de origem cristã.

Gostaria de ouvir, dos supostos cientistas que perdem tempo em defender Data Limite, explicações para isto. É uma metáfora? Ou o céu é mesmo uma igreja? E as contradições? Porque Chico Xavier, um homem que praticava fraudes, apoiou a ditadura em fase mais sangrenta, distorceu toda uma doutrina e só fazia caridade paliativa, tinha o privilégio de participar da suposta reunião? Que sem pensar muito dá para se perceber todas as características de uma parábola bíblica.

Essa lenda da suposta reunião é impossível de ter acontecido. Ela se baseia no dogma de que Jesus é governador da Terra e Deus o do universo, sendo na verdade uma interpretação materialista do universo, se baseando na noção que temos da política que acontece na Terra, um planeta muito atrasado e que todos os espíritos - eu disse TODOS! - pertencem a mesma ordem e terão a obrigação de reencarnar, aqui ou em outro planeta, igual, superior e até inferior. 

Como cientistas sérios tem a ingenuidade de aceitar Data Limite, uma tolice que serve mais para canonizar um líder religioso (Chico Xavier) e fazer propaganda da versão deturpada do "Espiritismo"? Data Limite nunca passou disso e suas previsões, cheias de erros, são impossíveis de ser concretizadas.

Mas como diz Emmanuel, com evidente safadeza, "profecias existem para não serem cumpridas". Não, Emmanuel? Então para que serve Data Limite? Para nos sacanear?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

(Autor: Professor Caviar)
Na madrugada de ontem, numa serra na Colômbia, um trágico acidente ceifou quase todos os ocupantes de um avião que levava a equipe catarinense Associação Chapecoense de Futebol, time conhecido como Chapecoense ou, simplesmente, Chape.
No acidente, inicialmente 75 pessoas faleceram. A maioria dos jogadores do Chapecoense, parte da tripulação boliviana que estava no avião, jornalistas e dirigentes esportivos. Apenas seis pessoas foram resgatadas com vida. O famoso zagueiro Neto foi resgatado com vida, e está sob cuidados médicos.
A tragédia comoveu o mundo inteiro e revelou um sonho interrompido de um time em ascensão. Consta-se que o Chapecoense era melhor do que muito time festejado que vence fácil qualquer torneio, e seu time era considerado de grande entrosamento. Com a perda de muitos desses jogadores, o time terá que recomeçar a temporada de 2017 do zero, provavelmente aproveitando jogadores juvenis.
Sob a ótica "espírita", fala-se que o aciden…

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

(Autor: Artur Felipe Azevedo)
Nosso Sistema Solar é composto de 8 planetas. Um leitor anônimo escreveu um comentário, dizendo o seguinte:

"Respeito a opnião (sic) de vocês, mas estão um pouco desatualizados. Se não sabem, foi descoberto um planeta próximo a Plutão, denominado Planeta X, mas que anteriormente foi citado pelo medium Chico Xavier como o Planeta Chupão. Se voces ligarem a teoria espirita com a lógica, viriam que jamais ela errou, mas se exitam em falar sem ao menos saber em que se resume tal coisa. http://geniusvirtual.blogspot.com/2009/07/seria-o-apocalispe-o-planeta-chupao.html  Esse link acima é para a reportagem completa, e abaixo dela está a fonte. Essa repostagem nao é espirita, é científica.
Parem um pouco e leiam para depois falar. É por isso que sempre digo: NÃO PODEMOS FALAR MAL DE ALGUMA COISA QUE NAO CONHECEMOS COMPLETAMENTE, APENAS SE APOIANDO EM SUPOSTOS COMENTARIOS OU SUPOSIÇÕES."


Bem, vemos que o colega ramatisista parece convencido da existência do …

Não quiseram cortar o mal pela raiz? Agora o estrago foi feito. Aguentem!

(Autor: Kardec McGuiver)
Muita gente reclama atualmente das críticas feitas a Chico Xavier. Não são críticas inventadas, são observações dos inúmeros erros cometidos pelo beato católico transformado em "liderança espírita" graças a um festival de manipulações feitas pelas lideranças da FEB, interessadas em fabricar um "santo vivo" para atrair gente e consequentemente, dinheiro. Dinheiro que ia muito pouco para a caridade e mais para as lideranças.
Se esquecem essas pessoas, cegas pela idolatria fanática a um verdadeiro charlatão que foi Chico Xavier, que se tudo fosse evitado antes, nada disso teria acontecido. Era preciso cortar a erva daninha no início, mas preferiram alimentá-la e deixar crescer. Hoje Chico Xavier é uma planta carnívora em dimensões colossais e o estrago que causou no Espiritismo se tornou algo praticamente irreversível.
Claro que houve tentativas para denunciar o charlatão no início. Mas sem a internet ou meios que propagassem as denúncias, el…