Pular para o conteúdo principal

O engodo discursivo que muitos chamam de "filosofia"

(Autor: Professor Caviar)

Não existe filosofia na tal da "profecia" da Data-Limite de Francisco Cândido Xavier. O que se chama de "filosofia" é normalmente um engodo em que pessoas que nada sabem tentam juntar aquilo que não sabem e do qual só possuem uma noção vaga e chamam isso de "Conhecimento".

"Conhecimento" deixa de ser um processo de saber, porque é antes um agrupamento de ideias desconhecidas precariamente apreendidas pela mente, onde se misturam conceitos místicos, ideias sobrenaturais e suposições futuristas. Não é algo que se adeque à honestidade intelectual, à pertinência da lógica e, muito menos, à coerência da verdade, mas uma mistureba de ideias misteriosas e mistificadoras que só os ignorantes pensam ser "busca da verdade".

Um exemplo disso é a pretensão que os produtores do documentário Data-Limite Segundo Chico Xavier, Juliano Pozati e Rebeca Casagrande, com seu livro homônimo, de criar um verniz "científico" e "filosófico" para o igrejismo "espírita", tentando transformar Chico Xavier - e, de carona, Divaldo Franco - em "cientistas" e "filósofos", através desse engodo que falamos.

E qual é a tal "filosofia" da Data-Limite? Primeiro, cita-se pensadores filosóficos, como Sócrates e Platão, só para dizer os pioneiros, de maneira superficial e pedante. Segundo, mistura-se astronomia com esoterismo, com descrições místicas de formação dos planetas e evoluções da espécie humana. Terceiro, coloca-se uma pitada de ufologia, alegando que extra-terrestres viriam aqui como missionários disso e daquilo. E aí, pronto: temos a "filosofia" da Data-Limite.

RISÍVEL DIVERGÊNCIA

O aspecto mais constrangedor do "movimento espírita" não está apenas em pessoas que somente fazem a pregação religiosa propriamente dita, como Chico Xavier e Divaldo Franco, só para citar os principais, mas de pessoas "de fora" que respaldam a divulgação e a consolidação desta seita religiosa.

Nomes como Alexander Moreira-Almeida, acadêmico da Universidade de Juiz de Fora, e Juliano Pozati, cineasta da Pozati Produções, são alguns dos que fazem parte desse segundo time, fazendo de uma religião uma pseudo-ciência, dando-lhe o aparato "mais científico e racional possível".

Pozati, que diz "adorar ciência" e afirma que O Livro dos Médiuns é sua obra favorita (será que ele realmente leu o livro?), é no entanto um entusiasta do igrejismo conservador de Chico Xavier, e leva às últimas consequências todo o pretensiosismo de fazer do "médium" mineiro alguém acima de tudo e de todos.

Ele quer que Chico Xavier seja "filósofo", dentro dessa manobra de criar um engodo discursivo que os incautos pensam ser "filosofia": compreensão superficial dos legados científicos e filosóficos, apreciação do esoterismo e do sobrenatural e suposições ufológicas ou astronômicas. Falsa ciência, e, da mesma forma, falsa filosofia.

Portanto, não há como ver filosofia nas palestras de Juliano Pozati. Como ele se apoia em Chico Xavier, o maior mistificador e deturpador da Doutrina Espírita, então Pozati também é mistificador. E mistificação envolve fantasia, meias-verdades e suposições tidas como certezas. E nada pior do que suposições que são tomadas como verdades ou certezas absolutas.

Tudo isso é mistificação. Os piores mistificadores são aqueles que justamente vestem a capa da "filosofia" para dizerem coisas nada filosóficas. E não se trata de uma interpretação filosófica a ser contestada por outra corrente filosófica, mas simplesmente de algo que nada tem de filosofia, mesmo que se concorde ou não com algo.

Isso porque o que Chico Xavier e Divaldo Franco fazem é puramente igrejismo. Catolicismo medieval à paisana. Se as pessoas acham que é "filosofia" um repertório de textos empolados, com linguagem rebuscada e prolixa, tidos erroneamente como de "palavras simples e esclarecedoras", então as pessoas não sabem realmente o que é a natureza do Conhecimento. Lamentável.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Silêncio da imprensa em torno do caso Divaldo Franco-João Dória Jr. é grave

(Autor: Professor Caviar)
De repente, até a imprensa de esquerda desaprendeu a fazer jornalismo. O prefeito de São Paulo, João Dória Jr., enquanto divulgava a intragável "farinata", composto alimentar de procedência e valor nutricional duvidosos, exibiu o tempo todo a camiseta do evento Você e a Paz, comandado pelo "médium" Divaldo Franco. O silêncio total da imprensa quanto a este aspecto tem muito o que dizer, e não são coisas boas.
Em primeiro lugar, João Dória Jr. não exibiu a camiseta do Você e a Paz porque foi a única camiseta branca que encontrou ele que costuma usar camisas de colarinho e paletó. Também não foi uma iniciativa comparável à de um moleque usando camiseta de banda. Houve um propósito para João Dória Jr. aparecer vestindo a camiseta do Você e a Paz, na qual havia o crédito do nome de Divaldo Franco.
Nenhum jornalista, por mais investigativo que fosse, chegou sequer a perguntar: "ora, se a 'farinata' era apoiada pela Arquidiocese de…

Por defender a ditadura militar, Chico Xavier devia perder homenagens em logradouros

(Autor: Professor Caviar)

Pode parecer, para muitos, cruel e injusto, mas a verdade é que Francisco Cândido Xavier deveria perder as homenagens dadas a logradouros por todo o país.
Na famosa entrevista ao programa Pinga Fogo, em julho de 1971, Chico Xavier exaltou a ditadura militar, com muita convicção, e disse para orarmos para as Forças Armadas, porque os militares estavam construindo o "reino de amor" do Brasil futuro.
Demonstrando um raivoso direitismo, Chico Xavier simplesmente disparou comentários contra manifestantes sem-terra e operários, com um reacionarismo descomunal e que muitos não conseguem imaginar, apegados à "dócil imagem" atribuída ao anti-médium mineiro. Quem duvida, é só ver o vídeo no YouTube. E é o próprio Chico Xavier quem diz, para tristeza de seus seguidores.
Ele defendeu a ditadura militar num contexto em que ela se mostrou bem mais repressiva. Era a época do DOI-CODI, principal órgão de repressão, que aprisionava, torturava e matava pri…

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

(Autor: Artur Felipe Azevedo)
Nosso Sistema Solar é composto de 8 planetas. Um leitor anônimo escreveu um comentário, dizendo o seguinte:

"Respeito a opnião (sic) de vocês, mas estão um pouco desatualizados. Se não sabem, foi descoberto um planeta próximo a Plutão, denominado Planeta X, mas que anteriormente foi citado pelo medium Chico Xavier como o Planeta Chupão. Se voces ligarem a teoria espirita com a lógica, viriam que jamais ela errou, mas se exitam em falar sem ao menos saber em que se resume tal coisa. http://geniusvirtual.blogspot.com/2009/07/seria-o-apocalispe-o-planeta-chupao.html  Esse link acima é para a reportagem completa, e abaixo dela está a fonte. Essa repostagem nao é espirita, é científica.
Parem um pouco e leiam para depois falar. É por isso que sempre digo: NÃO PODEMOS FALAR MAL DE ALGUMA COISA QUE NAO CONHECEMOS COMPLETAMENTE, APENAS SE APOIANDO EM SUPOSTOS COMENTARIOS OU SUPOSIÇÕES."


Bem, vemos que o colega ramatisista parece convencido da existência do …