Frases atribuídas a Chico Xavier e seus "mentores" se multiplicam nas redes sociais. E isso não ajuda em nada


(Autor: Profeta Gandalf)

Tratado como semideus, Chico Xavier virou o dono da verdade. Exemplo prático de coisa nenhuma, ele foi transformado em exemplo máximo de "bondade" e "sapiência". Isso favorece que muitas frases ditas por ele ou por um de seus obsessores (aqueles que os incautos se referem como "seus mentores espirituais") seja difundida como "manuais de sobrevivência e transformação interior".

É chato ter que aguentar frasezinhas de amor, paz e esperança que há anos são difundidas e não ajudam em transformar as pessoas. Pelo contrário, servem apenas de consolo para problemas que nunca são resolvidos. Não é o máximo? Não se passa pelo angustiante esforço de resolver problemas, além de se emocionar por frases piegas que parecem ter saídas de alguma música do Padre Zezinho. Até porque de Catolicismo, Chico Xavier entendia muito bem.

São frases que só enrolam e nada servem como transformação interior. Transformar interiores é algo bem desconfortante, pois exige esforço intelectual e a recusa de valores considerados positivos que as pessoa muitas vezes transformam em patrimônios a nunca serem descartados. Ninguém quer de fato transformar a sua personalidade para melhor, pois isso exigiria a saída da adorada Zona de Conforto.

Essas frases agradam porque satisfazem instintos de emotividade barata, de sentimentalismo inútil. Pieguice agrada e nunca é associada a valores desagradáveis. Embora seja silenciosamente nociva, a pieguice representa o máximo em bem estar que agrada a muita gente.

A pieguice é legal porque mantém tudo como está. Frases como a de Chico Xavier não derrubam governos, não estragam interesses, não melhoram valores. Só confortam, confortam e confortam. São excelentes para quem quer "masturbar" o seu espírito com tolices infantis.

Mesmo quando o ingênuo médium parece duro e coloca frases "impulsionadoras", se limita ao moralismo catolizado que pede que lutemos - quer dizer, soframos - para correr atrás de alguma "melhoria". Não pense que ele se refere ao verdadeiro esforço, aquele que a sociedade não quer ter e sim com aquele esforço tipicamente capitalista de se entregar ao mais cruel sofrimento para satisfazer ordens alheias para no final conseguir alguma coisa que possa significar bem estar. 

É aquele papo comum no Capitalismo, nas religiões e nos esportes, que trata a satisfação das necessidades básicas como se fossem um troféu a ser conquistado as custas de muita tortura. Triste e cruel. Tem horas que até mesmo frases lindas carregam uma boa dose de crueldade. Isso vindas de um homem considerado "o mais bondoso da Terra".

Para mim Chico Xavier não tem importância nenhuma. Sua bondade não trouxe nenhum benefício real à sociedade como um todo. Ele não passou de mais um líder de uma igreja igual a qualquer outra. 

Há muita gente, sobretudo nos meios intelectuais e científicos, que tem muito mais a dizer do que o superestimado médium transformado em "filósofo". Prefiro ouvir frases sem beleza que digam coisas consistentes e transformadoras do que frases doces que não dizem nada. 

Está mais do que na hora de esquecermos a influência de inútil que nada fez pela humanidade. Parece doloroso, mas devemos procurar quem realmente esteja disposto a resolver problemas e eliminar velhos hábitos. Se alguém não conseguiu transformar a sociedade para melhor estimulando o desenvolvimento intelectual e a observação detalhada dos erros ao nosso redor, pra quê dar ouvidos a ele? É perder tempo saboreando muita água com açúcar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

Madre Teresa de Calcutá e a caridade como mercadoria