A grande diferença entre a caridade transformadora e a caridade consoladora

(Autor: Kardec McGuiver)

Existe um grande abismo que separa um homem realmente bondoso, que age para melhorar realmente aqueles que o rodeiam e outro que apenas consola as pessoas com mensagens bonitas, sem agir para transformar a sociedade sofredora. 

E ontem morreu um desses transformadores homens bondosos que não se limitam a dar ombros para pessoas chorarem, mas lutam para eliminar os motivos de tanto choro. Nelson Mandela mudou a sociedade da África do Sul ao mostrar ao mundo que o apartheid é uma forma de agressão a humanidade, quando separa pessoas de pessoas, só por causa da tonalidade de cor de uma pele. 

Claro que a luta de Mandela nunca está acabada, pois infelizmente, o racismo ainda é bem forte no mundo. Mas só o fim das políticas de apartheid já representa um gigantesco passo, senão para o fim do racismo, pelo menos serve para mostrar que o racismo é nocivo e cruel.

Mas comparando a caridade transformadora de Mandela com a caridade meramente consoladora de Chico Xavier, este tido erroneamente como o "homem mais bondoso do mundo", intocável feito um semideus poderemos fazer um questionamento. Como um homem que nunca transformou a sociedade pode ser considerado mais bondoso do quem a transformou?

Chico Xavier nunca transformou a humanidade 

Infelizmente o mito "Chico Xavier" foi construído pela FEB e assimilado automaticamente pelos brasileiros que carentes de verdadeiros heróis, se contentam com falsos heróis, por causa do desespero de ter algum para solicitar. A FEB cresceu muito com o falso Espiritismo construído em torno do pobre médium, que era católico e não entendia Espiritismo e não sabia o que fazer com sua maediunidade.

A sua "poderosa caridade" se limitava a palavras de conforto e a paliativos que só resolviam problemas momentâneos, insuficientes para transformar a sociedade. Caridade muitas vezes nociva, pois por não saber identificar os espíritos que se comunicavam através dele, separando os falsos dos verdadeiros, acabou enganando a todos, não por maldade, mas por negligência (o que não livra Xavier de sua responsabilidade), gerando mais danos do que benefícios. 

Xavier inclusive, fez um grande mal à humanidade, adiando a evolução espiritual, graças ao costume de enxertar aspectos de sua verdadeira fá, o Catolicismo, na forma brasileira do Espiritismo, causando muita confusão e mal entendimentos. Porque então classificar como "homem mais bondoso do mundo" alguém que nada contribuiu para a transformação da humanidade?

Mandela transformou a sua sociedade, coisa que Xavier nem tentou

Fica o exemplo de Nelson Mandela para os chiquistas. Mandela lutou muito para transformar a sociedade, tentou eliminar problemas crônicos e nunca se limitou a palavras consoladoras que na verdade agem como água com açúcar, apenas iludindo o sofredor, para que ele se conforme um problema que nunca consegue ser resolvido. 

Mandela preferiu tentar resolvê-lo e pensando muito bem, isso o faz muito melhor do que Chico Xavier, a água com açúcar em forma de homem, que nada fez a não ser caridade paliativa, além de estragar toda a compreensão doutrinária, com a ajuda de espíritos de índole duvidosa. 

Se Xavier fosse realmente bom como dizem, Uberaba, cidade onde ele viveu, teria a melhor qualidade de vida do mundo, em todos os sentidos, com absolutamente todos os problemas totalmente sanados, a melhor cidade para se viver. Como Uberaba não é assim tão paradisíaca, a bondade do famoso médium mineiro, sinto dizer, foi bastante limitada. Um semideus que cai, após tirado o véu da "bondade perfeita", revelado como homem falível, como qualquer um de nós.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Não há resgate coletivo. E isso o cotidiano nos explica com facilidade

Planeta "X", Chupão ou Nibiru: Respondendo a um leitor ramatisista

Madre Teresa de Calcutá e a caridade como mercadoria